quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Como ver o nível do óleo da moto

Atualização: Para ver um vídeo explicando como funciona a lubrificação do motor e entender a importância de manter o nível e o tipo corretos de óleo, visite a postagem O vídeo definitivo sobre o óleo do motor da sua moto.

Há várias denúncias sobre motos específicas de diversos fabricantes e seus níveis de óleo nestes links: 
hondayamahasuzukikawasakibmwtriumphmvk, kasinski e dafra, entre outras.

Ao contrário dos carros, o nível de óleo da grande maioria das motos precisa ser verificado após ligar e desligar o motor por alguns minutos, o procedimento é descrito no manual do proprietário de sua moto, confira.

Se você medir sem ligar e desligar o motor, encontrará um nível alto, mas totalmente falso, porque não é assim que sua vareta medidora foi calibrada, não é assim que se mede o nível de óleo de motos, e você terá um grande prejuízo e colocará sua vida em perigo, porque um motor mal lubrificado mais cedo ou mais tarde irá travar (fundir).

Imagem: www.sodahead.com

Para verificar o nível do óleo da motocicleta, NÃO BASTA retirar a vareta medidora (ou conferir o visor) pela manhã e ver se o óleo se encontra dentro da faixa recomendada a indicação mostrará um resultado irreal.

Fazendo o procedimento descrito no manual do proprietário — ligando e desligando o motor por 2 a 3 minutos (algumas motos pedem 5 minutos, outras o motor completamente quente, e a Falcon e demais motos de cárter seco têm um procedimento especial) — você descobre a situação real do nível de óleo em seu motor:

Na primeira manhã após a troca, com a moto abastecida com a quantidade recomendada pelo fabricante e fazendo a medição do modo errado, você se iludirá achando que o motor tem óleo suficiente, quando na verdade tem apenas o mínimo para não fundir até a próxima revisão... se você não viajar.

Se você deixar de completar o óleo para que esteja sempre próximo da marca de nível superior, conforme é determinado no manual do proprietário, na hora em que você colocar o motor para funcionar com o mínimo de óleo e sair rodando com sua moto o óleo será consumido e o nível ficará abaixo da faixa ideal recomendada, o que é extremamente prejudicial para a vida útil do seu motor, e até perigoso para você.


Imagem: Manual do Proprietário kawasaki Ninja

Ao trabalhar com pouco óleo seu motor esquenta acima do normal porque nas motos resfriadas a ar (que não usam água/líquido de arrefecimento) é o óleo que tira o calor das partes mais quentes e ajuda a dissipar nas paredes mais frias da parte da baixo da carcaça.

O óleo faz a função de líquido de arrefecimento do motor, e algumas motos 250 chegam a usar um radiador de óleo, como a CB Twister, CB 300, Fazer, Comet e Mirage.

Apenas algumas poucas motos 250 possuem radiador de água como a mvk Fenix Gold, kawasaki Ninja, suzuki Inazuma e dafra Next.

Óleo quente é menos viscoso, lubrifica menos e é consumido mais rápido, o que estraga o motor, causa dificuldade de passar marchas, dificuldade de achar o neutro, batida de pino (um som de grilinho metálico dentro do motor que indica que se continuar trabalhando mal lubrificado e quente desse jeito, ele irá fundir em breve). 

Um erro muito comum é o novato medir o óleo logo após a troca, ainda quente. Nessa condição o óleo se dilata com o calor do motor e dá uma leitura falsa e enganosa. 

O certo é fazer o procedimento pela manhã ou pelo menos após 2 horas de descanso do motor — ele estará frio e você terá de ligar e desligar exatamente como recomendado.

Mas o pior erro é colocar a quantidade recomendada, fazer o procedimento de medição corretamente, não encontrar quase nada de óleo, pensar que está fazendo errado e parafusar a vareta para encontrar o óleo — não faça isso!

Por desproporção na hora de fazer o desenho, ficou parecendo que a coisa é menos feia. 
A diferença é toda a faixa de medição, ou seja, 100% cheio X 100% vazio
Neste exemplo, o nível pode ser completado até atingir a marca de nível máximo. 
Não há necessidade nem se deve esperar chegar à marca de nível mínimo.

A vareta não deve ser girada na hora de medir!

É só limpar, colocar e tirar com a moto fria e na vertical, e mais nada!


Mas a fé no fabricante é tamanha que o novato coloca a quantidade recomendada, não acredita que possa estar faltando, acha que interpretou errado o procedimento e acaba parafusando a vareta até encontrar o óleo.... ISSO É TOTALMENTE ERRADO!


O manual é explícito: se estiver faltando, complete!


É o que a concessionária teria a obrigação de fazer antes de te entregar a moto da revisão, mas até agora não encontrei uma que o faça.

Ao inventar algo que não está no manual — parafusar a vareta na hora de medir, em vez de completar com mais óleo — o novato condena seu motor a uma privação de lubrificante que reduzirá sua vida útil à metade, ou até menos.

O quadro mostrado acima é válido para todas as motos nacionais brasileiras com motores de tecnologia japonesa e chinesa. 

Pode ser que nas Harley ou motos europeias a vareta/visor estejam calibrados de maneira diferente, então leia o manual do proprietário da sua moto.

Entre as motos nacionais existe um caso particular que precisa ser destacado por sua gravidade, as dafra Speed e Kansas 150, e todas as motos que usam motores do mesmo tipo, como a kasinski Flash. (A green Sport usa motor do mesmo tipo, mas a quantidade de 1,4 litro está correta no manual do proprietário).

Nesses modelos dafra Speed e Kansas, a quantidade de óleo recomendada para o motor está absurda e grosseiramente ERRADA, o que você encontra é isso aqui:
dafra Speed e Kansas 150

A quantidade de 1 litro recomendada pela dafra, quando o nível é medido exatamente de acordo com as instruções apresentadas no manual do proprietário, nem sequer molha a ponta da vareta medidora.

E a quantidade máxima recomendada de 1,2 litro permite chegar apenas ao nível mínimo da vareta. 

Trabalhando nessas condições, esses motores não duram mais do que 30 mil km, com sorte. A maioria já está irremediavelmente danificada aos 12 mil, no máximo 20 mil km, ainda dentro do período de garantia.

Isso foi assunto de discussão nos fóruns de proprietários, foi apontado diretamente ao fabricante, que insistiu na sua versão de que o motor não comporta mais do que o 1,2 litro dito por eles.

Bom, o fato é que alguns proprietários perceberam que insistir com isso era BURRICE e estão até hoje rodando muito satisfeitos com suas motos usando 1,3 a 1,4 litro de óleo. 

A Speed do Daniel chegou aos 100 mil km antes de fazer o motor, e a minha Kansas já está com 76 mil km. Só precisei fazer o câmbio lá pelos 65 mil km por causa de algumas viagenzinhas transportando uns 90 quilinhos acima da capacidade máxima da moto... mas valeram a pena... hehehe

Já os donos de Kansas e Speeds que acreditaram no fabricante pagaram bem caro para fazer o motor completo e muitos acabaram vendendo a moto a preço de banana por causa da má fama (injusta) adquirida.

Espero que essas ilustrações o ajudem a entender como a coisa funciona e o quanto você está sendo prejudicado quando recebe a moto das revisões nessas condições de óleo mínimo.

Se você não tomar a iniciativa de verificar o que fizeram na revisão de sua moto e, se necessário, completar o óleo até atingir o nível ideal (que é o máximo da vareta), ficará na mão com todas as despesas da retífica e troca de peças — veja a postagem O que é fundir o motor?

Se o problema fosse apenas esse, seria apenas o prejuízo material.

O grande perigo é que um motor mal lubrificado se superaquece, perde potência e pode morrer e travar no meio do trânsito. 

Quando isso acontece com um carro, os outros motoristas buzinam, xingam, desviam e vão embora.

Quando acontece com uma moto, eles passam por cima de você antes de xingar, desviar e ir embora. 

Aí você pergunta, se é assim, por que os fabricantes não dizem logo a quantidade correta?

Leia a postagem de ontem e as 5 postagens das denúncias da série A esperteza dos fabricantes e a ingenuidade do povo.

Seja esperto e não tome prejuízo, nem dê chance para o azar.

Um abraço,

Jeff

32 comentários:

  1. Jeff meu irmão tem uma Fazer 150 e ao trocar o óleo ofereceram pra ele o novo Yamalube 10w40 semissintetico, normalmente ela usa o oleo 20w50 mineral. A moto está com pouco mais de 12 mil km, porém após a troca do óleo na primeira partida pela manhã, após a moto ficar a noite toda parada ela sai um pouco de fumaça azulada pelo escapamento e em poucos segundos ela cessa. O nivel do óleo está correto até porque uso o mesmo tipo de oleo na minha Kawasaki ER6n e fiz a medição aqui em casa e completei com uns 150 ml aproximadamente pra ficar na marca de máximo. Reitero que sai a fumaça por poucos segundos e apenas na primeira partida do dia, depois ela não sai mais fumaça. Será que é pelo fato do oleo mais fino ? Devo trocar imediatamente esse óleo ou posso usar por um tempo ?

    ResponderExcluir
  2. Aos poucos estou lendo todos os posts, meus parabéns a equipe do blog!
    Excelentes assuntos e textos bem redigidos (não percam essa descontração e esses palavrões em russo) e a forma como escrevem da alma ao texto, quanto a carros é AUTOentusiastas quanto à motos não há duvidas são vocês do minhaprimeiramoto.

    ResponderExcluir
  3. Parabéns a equipe do blog, os assuntos estão sendo muito úteis. Sucesso a todos!!!

    ResponderExcluir
  4. Parabéns a equipe do blog, os assuntos estão sendo muito úteis. Sucesso a todos!!!

    ResponderExcluir
  5. Comprei uma biz a pouco menos de 6 meses, e desde que voltou da primeira revisão estou notando ela com um barulho mais forte no motor, todos os motociclistas da minha familia disseram que é "paranóia" minha, e que a moto é nova, logo não tenho porque me preocupar, comecei a suspeitar que fosse o óleo e vim procurar mais informações sobre, e lendo os artigos logo de cara já notei que minha moto está com algumas caracteriscas de óleo baixo (dificuldade de achar o neutro e estalando após desligar por exemplo), li o manual dela inteiro, mas realmente, as informações sobre o procedimento de troca e verificação de óleo não são tão precisos quanto deviam ser, amanhã mesmo pela manhã farei a medição do óleo, deixando o motor ligado de 3 a 5 minutos como pede o meu manual e tirarei essa história a limpo, não tem nem 300km da primeira revisão e se constatar o óleo muito baixo, tomarei muito mais cuidado com isso!

    ResponderExcluir
  6. Bom dia! Jeff
    Tenho uma dafra super 50 cc que me atende maravilhosamente para o trabalho, até hoje nunca me deu trabalho, só coloco gasolina. O interessante é que qdo troco o oleo, coloco a quantidade que o fabricante pede, na vareta sem rosquear fica na marcaçao correta, mas no visor fica no meio entre as letras H e L, isso é normal?

    ResponderExcluir
  7. Meu broder muito obrigado, concordo em tudo com VC e admito que são poucos os que entende isso infelizmente Al m da vareta VC TB pode verificar o valor óleo pela lateral da Kansas ou speed e se vc colocar 1 litros não fica nem no mesmo nivel mínimo fassam o teste vcs mesmo, excelente post e obrigado.

    ResponderExcluir
  8. Bom dia.
    Tenho uma dúvida e se puder me ajudar eu agradeço.
    Comprei uma Dafra Horizon 150cc e no manual diz para verificar o óleo com o motor frio pela manhã.
    Você sabe me falar se a horizon 150cc tem um procedimento especial ou eu deveria ligar por 2min mesmo que o recomendado pelo manual seja sem ligar?

    Grato, Jerry

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Jerry!
      O procedimento do manual da Horizon é enganoso, explico isso em duas postagens especificamente sobre a Horizon 150.
      A primeira é sobre o procedimento enganoso do manual e a outra sobre o vídeo de um proprietário que fez o teste e comprovou o procedimento baseado nesta postagem, e que foi publicada hoje:

      http://minhaprimeiramoto.blogspot.com.br/2016/10/o-jogo-dos-erros-do-manual-da-dafra.html

      http://minhaprimeiramoto.blogspot.com.br/2016/10/o-video-da-polemica-do-1-litro-de-oleo.html

      Um abraço,
      Jeff

      Excluir
  9. Ola amigos, tenho uma cb 300r 2012, na data de hoje 07/11/16 ela está com 6.500 km, sempre fiz a medição de óleo com ela totalmente fria e quase sempre ao amanhecer, sempre foi mantido o nível no tracinho alto. Por algumas vezes após umas 4 horas de funcionamento direto noto q óleo fica la no tracinho de baixo, conforme vai esfriando o nível vai subindo. Até o momento graças a DEUS ainda não desconfiei de nada. Tendo em vista que nunca me atentei a uma ligadinha de 2 ou 3 minutos antes da medição, será q devo levar a uma concessionária para verificar possíveis problemas. Vcs acham q pode ter algum problema que ate o momento ainda não notei? Por favor, humildemente solicito uma resposta. INALDO ARANTES

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Inaldo!
      Se a sua moto está funcionando bem, não há motivo para levá-la à concessionária ou a um mecânico. Uso de óleo baixo acelera o desgaste do motor e somente traz risco se você estiver em alta velocidade, quando poderá ocorrer o travamento do motor por superaquecimento e travamentos de válvulas.
      Se o seu motor nunca deu problemas, agora ele irá durar várias dezenas de milhares de km, apenas algumas a menos do que poderia porque você descobriu o procedimento correto de medição com uma quilometragem relativamente baixa.
      Se você nunca esmerilhou sua moto, rodará tranquilo por muito tempo ainda.
      Sintomas de problemas que seriam perda de potência, vazamento de gás de combustão pelo alojamento da vela de ignição, barulho metálico intenso no motor, perda de desempenho acentuada.
      Na concessionária ou em qualquer oficina mecânica, somente abrindo o motor para verificar e solucionar problemas do tipo.
      Um abraço, e felicidades com sua moto,
      Jeff

      Excluir
  10. Olá, eu tenho uma Bros 160 ano 2015.
    E ela apareceu o barulho de "grilos metálicos no motor"
    E ela ainda está na garantia. E a concessionária não quis resolver meu problema.
    Será que eu entrando com uma ação pequenas causas, eu poderei ter meus direitos atendidos na garantia?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Marcelo!
      As condições da garantia excluem uma série de problemas causados pelo uso normal da motocicleta. Basicamente cobrem apenas peças que saíram com defeito evidente, óbvio e inegável da fábrica. Ruídos surgidos após 1 ano de uso do motor não são cobertos, são considerados decorrentes do uso.
      "Barulho de grilo metálico" pode ser interpretado de várias maneiras. Se for bem agudo pode ser batida de pino, e a causa é gasolina de má qualidade e componentes de ignição desgastados. Não é coberto por garantia. Se for por problemas de lubrificação, provavelmente aconteceu por colocar apenas 1 litro de óleo no motor sem completar até o nível máximo. Você só poderá pedir garantia se puder comprovar que fez todas as trocas nos intervalos recomendados E repôs o óleo consumido nos períodos entre trocas conforme determinado no manual do proprietário (e o vendedor nunca disse que era necessário). Acho difícil ter como provar isso, os advogados deles são peritos em ganhar causas como essas. Agora que você conhece o macete, não seja iludido por eles na sua próxima moto. Praticamente todos os fabricantes recorrem a esse expediente para vender motos e peças de reposição mais rapidamente.
      Boa sorte,
      Jeff

      Excluir
    2. Recorrer ao juizado é um direito seu, se considerar que tem bons argumentos, não desista sem tentar.
      Um abraço,
      Jeff

      Excluir
  11. Obrigado pelas dicas e toques. E site e o melhor e mais completo de todos, parabéns pra vcs continuem assim!!
    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Marcelo!
      Acabei de responder seu email!
      Boa sorte com sua moto,
      Jeff

      Excluir
  12. Hoje de bobeira no serviço decidi pesquisar alguma coisa sobre óleo 20w50 (que é o que meu mecanico recomendou usar na minha fan) e fui lendo artigo após artigo, até chegar nesse. Tenho a moto a quase um ano(modelo 2009) e sempre medi o óleo com o motor totalmente frio(pela manhã antes de dar a primeira partida) e rosqueando a paleta até o final, e o óleo sempre encostando na parte superior da paleta. De repente me bateu aquela "curiosidade" de fazer como descrito no blog. Dei partida, esperei 2 minutos, tirei a paleta, limpei, e só encaixei sem rosquear. Pasmem! o nivel estava quase no minimo!! Tive que acrescentar exatos 400ml para que a paleta ficasse suja de oleo na parte superior. e Pasmem de novo! quando liguei a moto parecia até que mechi no motor, o ruido diminuiu MUITO apenas por ter completado o nivel de forma correta. A vida toda achei que o correto era enroscar a paleta até o fim(sempre que enroscava o nivel ficava na parte superior da paleta e eu achava que estava com o nivel normal). Ou seja por falta de informação estava forcando meu motor com pouco oleo a muito tempo, e os sinais disso foi o motor que comecou bater e vou ter que fazer semana que vem. Vacilar com nivel do oleo nunca mais.
    Abraço Jeff, não só esse post mas como todos do site só acrescenta no meu conhecimento sobre minha magrela, conhecimento esse que com certeza será muito útil para nao ficar na mão como ja fiquei.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelo depoimento, John!
      Fico feliz que a partir de agora sua moto não passará mais pela privação de óleo que todos os fabricantes se empenham em fazer de conta que é a condição normal.
      Atualmente a honda mudou o manual do proprietário e descreve um procedimento de troca de óleo completo que inclui a medição ligando e desligando o motor. Ele também é enganoso porque a medição após a troca encontra o óleo quente e dilatado. E os mecânicos (tanto das concessionárias quanto os autônomos) não precisam aprender o que eles já sabem de cor depois de 40 anos de lavagem cerebral para colocar apenas a quantidade explicitada no manual "e nem uma gota a mais que estraga o motor". Essa mentira já foi repetida tantas vezes que virou "verdade" popular.
      Agora que sua moto terá de fazer o motor, confira o nível de óleo na primeira oportunidade, porque apesar de a honda alertar que o primeiro enchimento do motor ("e apenas ele") exite 1,2 litro de óleo, muitos mecânicos ficam na bitola do "a honda diz 1 litro no manual", seja por desconhecimento, ignorância, cabeça lavada ou pura má-fé mesmo porque sabem que assim o cliente irá retornar muito em breve.
      Um abraço,
      Jeff

      Excluir
    2. Ah esqueci de dizer:
      O procedimento lá em cima é enganoso porque além de induzir a medição com o motor quente, continua fazendo referência a apenas 1 litro de óleo e adição, "se necessário".
      Eu de novo,
      Jeff

      Excluir
  13. Parabéns pelo rico trabalho de nos informar. Minhas dúvidas: Sobre enroscar a vareta, se o Manual quer enganar mostrando uma quantidade maior de óleo, por que diz para não enroscar, já q a ponta da vareta irá mais fundo? E sobre completar até o nível MÁX após ligar o motor, uma parte do óleo estará espalhada pelo motor e se completar o que acontece quando a moto fica de repouso (óleo anterior + o novo)?
    Ou seja, pelo que entendi, o CORRETO é ter uma quantidade de óleo circulando e uma "reserva" no carter? Desculpa se minhas dúvidas são estranhas. E obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Neto! Obrigado!
      É exatamente isso. O indicador de nível (vareta ou visor) está calibrado já prevendo esse óleo que ainda não desceu das galerias e partes altas do motor. Nas motos com radiador de óleo essa diferença é até maior.
      Se for medido de maneira diferente do que está no manual, a indicação mostrará um nível acima do recomendado. Mas ligando e desligando o motor, ele estará correto. O projeto do motor já prevê isso, é uma condição normal.
      Sugiro ver a postagem
      http://minhaprimeiramoto.blogspot.com.br/2016/10/o-video-da-polemica-do-1-litro-de-oleo.html
      Lá tem o depoimento em vídeo do dono de uma moto que testou o que eu digo aqui na moto dele.
      Sobre não enroscar a vareta, isso vem de uma tradição. Os primeiros motores dos automóveis do começo do século passado não usavam rosca para fixar a vareta, ela era apenas encaixada sob pressão em tubo longo. Quando se tornaram mais compactos precisaram passar a usar rosca, então se manteve o costume de apenas encostar porque era a forma como todos estavam acostumados. Isso também evitava erros de medição por contaminação da vareta durante o giro.
      Se fizermos girar a vareta hoje, com ela prevista apenas encostar no motor, teremos uma leitura falsa de nível bom. Como a imensa maioria dos proprietários não lê o manual, e não desconfia do método desnecessariamente confuso adotado pelas fabricantes, ele deduz incorretamente que só não encontrou o óleo porque estava medindo errado e enrosca a vareta. Fazendo isso, ele decretou o destino do motor.
      Um abraço, e obrigado por acompanhar o blog,
      Jeff

      Excluir
  14. Olá bom dia! Seus textos são muito bons! Inclusive mandei alguns para um amigo que insiste em trocar o óleo somente na Hond@, Eu uso o Mobil 20w-50, a minha dúvida é : devo no momento da troca de óleo colocar 1.200 ml de óleo na minha Bros 150, 2013?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, X@nde!
      Meu conselho é:
      Não se preocupe com a quantidade.
      Se você fizer o procedimento de medição exatamente como está no manual, medindo do jeito certo com o motor totalmente frio ligado pelo número de minutos que é dito no manual, chegará à conclusão de quanto óleo é necessário a cada troca. Eu cheguei ao valor de 1,4 litro na minha Kansas medindo na prática. O cárter dela é maior do que o das honda porque tem um grande balanceiro na frente do motor. Se eu tivesse me baseado apenas nas quantidades que eram faladas no fórum, e fui eu mesmo quem sugeriu para o pessoal que estava tendo problemas com o motor para colocar aqueles 200 ml a mais, eu nunca teria descoberto o motivo de mesmo as motos que já estavam usando 1,2 litro continuarem a dar problema.
      Sabe, não foi só por gostar muito do modelo da Kansas... eu também sentia a necessidade de descobrir o que estava causando tanto problema naqueles motores. Felizmente descobri na prática no primeiro dia que comprei a moto.
      Nas motos com radiador de óleo (não é o caso das Bros) a quantidade irá variar em função do capricho na hora da troca. Quem não tiver paciência de escoar todo o óleo que demora para descer do radiador e se preocupar apenas em colocar uma quantidade X não estará mantendo o motor com o nível correto.
      Um abraço,
      Jeff

      Excluir
  15. Concordo plenamente a minha moto e prova Vida disso

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelo depoimento, Ivan!
      Um abraço,
      Jeff

      Excluir
  16. Boa Noite, tenho uma titan 150 2009, eu mesmo troco o óleo dela, a pergunta é
    Devo colocar 1 litro ligar e depois completar ate o nível certo, sendo que atinge com 1,2 litros
    Ou já posso colocar 1,2 litros de primeira?
    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Canal!

      Os dois métodos devem dar o mesmo resultado em uma troca de óleo bem feita.

      Quantidade pode ser uma coisa enganosa.

      Aconselho sempre adotar como método aquilo que está no manual do proprietário, sempre medir e completar, a menos que você conheça bem sua moto.

      Porque senão amanhã você compra uma moto com radiador de óleo, na qual o óleo demora bem mais para esvaziar o radiador, e em uma troca apressada pode acabar colocando mais do que o necessário.

      Nas primeiras Kansas os donos começaram a colocar um pouco mais por sugestão minha, 1,2 litro, e mesmo assim os motores continuaram estourando.

      Na época eu ainda não tinha a minha e não sabia que as CG usavam 1,2 litro, senão teríamos descoberto o macete há mais tempo.

      Foi só depois que comprei a minha e fiz o procedimento do manual que descobri que o correto era 1,4 litro.

      Essa quantidade de 1,4 litro é válida para as Kansas, Speed e Mirage 150, mas não para as Fan e Titan.

      Um abraço,
      Jeff

      Excluir
  17. ola,Jeff! descobre hoje esse Blog SUPER EXCELENTE,tenho uma Bros 2012com 44ml km esempre fiz como os mecanicos da honda mim ensinaram apenas um Lt de oleo,usava o 10x30w e percebia que a moto ficava com um motor mais barulhento e as trocasde marchas mais duras,depois que comecei a usar um oleo 20x50w notei que a moto ficou muito mais silenciosa e as trocas de marchas muito mais suaveis e macias; e vendo agora sua dica,vou seguir e por em pratica amnha logo cedo,e depois volto aqui p falar;

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Claudionor!
      Aguardo para saber de sua experiência!
      Um abraço,
      Jeff

      Excluir
  18. Nossa! Eu tô mais perdido que punk em festa skinheads. Alguém pela amor de Deus me ajude com uma informação. Minha Bros 160 2016. Eu mudei do azeite do Ipiranga pro Shell 10w30 . Como pede a bagaça, gostei, até que deu uma melhorada nos ruídos e nas trocas. Coloca sempre de 100 a 200 ml.a mais. Depois agora mudei pro motul também 10w30. não usei tanto óleo no início, tava uma bosta. Uma barulho da porra, coloquei mais 200ml não mudou muito. Tô pensando em voltar p Shell. Alguém meu diz no critério de viscosidade, mudo pra algo superior, pensei no 10w40 . Mas já li em posts no fórum que nego usa 20w50 nas 150. Agora tô bugado. Alguém me socorre !!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Adilson!

      Todos os fabricantes sempre recomendaram adaptar a viscosidade do óleo de acordo coma temperatura prevalecente na região de utilização da moto.

      E a viscosidade adequada para motos na temperatura de nosso país sempre foi 20W-50.

      Aí a honda mudou de ideia do dia para a noite, e motos que até a véspera não podiam usar outra viscosidade foram obrigadas a usar 10W-30.

      Só que no mesmo ano em que adotou exclusivamente o 10W-30 no Brasil ela também adotou o 10W-30 na Austrália, mas com a ressalva de que poderia ser usado o 10W-40 por causa da temperatura:

      http://minhaprimeiramoto.blogspot.com.br/2017/04/e-dona-honda-complicou-para-o-seu-lado.html

      Quanto mais você ficar sabendo sobre esse assunto, mais indignado ficará.

      Um abraço,
      Jeff

      Excluir
    2. PS:Todos os fabricantes, menos a honda...

      Excluir