sexta-feira, 16 de outubro de 2015

Vídeos para quem quer aprender a pilotar comprando a moto dos sonhos

Quem pensa em comprar a primeira moto sonha em começar direto pelo modelo dos sonhos, aquela máquina cobiçada há tanto tempo...

Só que começar logo de cara com uma moto potente, mesmo que seja apenas uma 250/300, tem enorme chance de dar nisso:


Uma 250/300 parece uma moto facinha, mas já é arisca demais para quem ainda não aprendeu as manhas com motos menores.

E o conserto dela é caro pra burro. No caso, o dono.

Basta um erro na hora de acelerar, um tombinho besta desses, e você toma um prejuízo dos infernos — essa moto bateu a uns 30 km/h, se tanto...

Isso acaba com o teu passeio, acaba com o teu dia, acaba com o teu sonho e acaba com o teu saldo no banco, quando não acaba contigo — você perde o tesão pela moto e por andar de moto. Pelo menos, com aquela moto.


E essa Ninja aí do vídeo ainda era uma moto de cilindrada até pequena.


Quem faz a loucura de querer começar com uma 500 / 600 / 750 pra cima pode ter prejuízos muito maiores, e com muita facilidade...
Imagem e reportagem: http://www.94fmdourados.com.br/noticias/regio/jovem-destri-hornet-e-escapa-da-morte-em-grave-acidente-em-ms
Imagem e reportagem: http://www.portalvargemgrandemg.com.br/2015/01/policial-militar-morre-ao-sofrer.html

Imagem e reportagem: http://diariocatarinense.clicrbs.com.br/sc/geral/noticia/2013/05/homem-morre-em-acidente-com-motos-esportivas-em-ponte-serrada-no-oeste-catarinense-4149875.html

Imagem e reportagem: http://www.reporteroliveirajunior.com.br/v2/?p=127031

Se você ama um determinado modelo de moto, vá por mim, não comece por ele — para sua segurança e para a segurança dos outros motociclistas. No caso, eu. 

Judie um pouco de outras motos mais baratas e mais mansas antes de comprar a moto dos seus sonhos.

Adquira uma boa experiência com elas e só depois de ficar craque então parta para comprar aquele motão que você sempre sonhou.

Acredite, sua primeira motinho vai sofrer bastante nas suas mãos...

Todo novato apronta alguma dessas (ou todas essas) com a primeira moto.

Faça a escadinha de potências até chegar nas grandes cilindradas depois de uns 5 anos.


Até lá você terá aprendido muito do que tem para aprender sobre as trapaças e manhas que só as motos sabem fazer.


Fazer essa progressão continuada é bem melhor do que ver o seu coração partido logo no primeiro passeio.

Um abraço,

Jeff

12 comentários:

  1. Boa tarde Jeff. Ví a aba Armadilhas no Transito que você indicou, muito bom e índico a todos.
    Aos 16 anos andei em uma cinquentinha 2 tempos e sofri um acidente com o garupa caindo por cima de meu corpo, queimei o joelho que encostou no motor e me ralei todo, estava a uns 20 ou 30km/h. Posteriormente andei com 125 , com Dt180 e sempre moto de familiares. Só tive a oportunidade de ter uma moto a 2 anos e meio atrás, onde adquiri uma 250 custom. A grande diferença é que agora tenho 54 anos nas costas e amo minha saúde e também a saúde dos outros. A moto é sensacional, manutenção acessível, robusta, econômica, bonita, sonho realizado. Aliás vi uma foto da Judith de 2014 que é uma bela moto, me surpreendeu a refrigeração líquida e a sua coragem em conduzi-la de São Paulo até sua residência. Comprou usada ou zero? Qual o ano? Não conhecia esta moto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, José Carlos, obrigado!
      A Judith eu não conheço, mas é um bom nome! A Edith é um modelo 2011 que chegou na minha mão zero km há exatamente um ano. A história dela está contada nas postagens http://minhaprimeiramoto.blogspot.com.br/2014/10/edith.html
      http://minhaprimeiramoto.blogspot.com.br/2014/10/a-primeira-viagem-com-edith.html
      Várias marcas entraram no mercado a partir dos anos 2000. A mvk montou uma rede de concessionárias até grande, mas fracassou por dois motivos: as mvk eram britadeiras com peças frágeis que rodavam sem óleo. Eles também trouxeram uma linha de motos de melhor qualidade, a regal raptor, com motores com balanceiro e arrefecimento líquido. Essa últimas são boas máquinas, bem acabadas, mas no que depender deles, também rodam sem óleo. O resultado é que a marca não tem chance de se levantar no mercado, essa atitude de não colocar a quantidade certa de óleo e deixar os proprietários detonarem as motos e a imagem da marca os condena ao fracasso. Hoje só resta o centro de distribuição da Regal Raptor em Americana, SP. Conheci a marca em um test drive ainda em 2011 graças aos amigos do WD±40. O relato é este aqui, adivinha, sou o usuário Jeff... hehehe
      http://dafra.forumais.com/t3674-test-drive-regal-raptor-mvk
      Poderiam vender muito mais, poderiam ter muito mais clientes satisfeitos divulgando a marca e fazendo a propaganda boca a boca, mas infelizmente... a falta de óleo acaba com os motores e acaba com a imagem da marca.
      Um abraço,
      Jeff

      Excluir
    2. Caramba... desculpe.... é Edith. Abração.

      Excluir
  2. Os 2 últimos vídeos são ótimos, um achado. Quanto as mortes com moto é tristeza total. Imagine um pai de família, caso sobreviva a um acidente de moto, ficar sem trabalhar meses ou anos, por motivo de fisioterapia e recuperação. Pior ainda, tetraplégico ou paraplégico. Amigos leitores, antes de dirigir, bicicleta, moto, automóvel ou qualquer coisa que se desloque a mais de 5 Km/h, pense nisso, na sua saúde e a do seu semelhante. Vá com calma, diminua os riscos, respeite o trânsito. Abraços.

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. Ví a sua aventura com a Edith. Por ser uma moto desconhecida (nova), sem conhecer as manhas, o ideal seria voltar junto com outro motociclista. Assim daria suporte a alguma pane.
    Postou algo sobre o amaciamento na estrada?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A experiência rendeu duas postagens sobre o amaciamento na estrada:

      http://minhaprimeiramoto.blogspot.com.br/2014/10/amaciamento-do-motor.html

      http://minhaprimeiramoto.blogspot.com.br/2014/11/amaciamento-de-motores-de-arrefecimento.html

      Difícil ter alguém em condições de me acompanhar em uma viagem dessas, foram 1000 km. Mas concordo que seria recomendável. Se bem que a grande aventura está em viajar sozinho e ser obrigado a resolver o problema na medida em que aparecem.

      Culpado disso foi meu pai, que colocou a família de paulistas no carro e levou todo mundo para conhecer a fronteira gaúcha, inclusive eu guri comemorei o aniversário de 6 anos na estrada. Tivemos vários problemas e ele resolveu todos, virou para sempre meu herói.
      Um abraço,
      Jeff

      Excluir
    2. Minha primeira viagem de moto foi sozinho também. De Floripa até Vacaria no Rio Grande do Sul.
      Você falando do seu pai me lembrou do meu também. O homem era muito bom de mecânica. Fomos de Floripa até Sergipe em um Opala Comodoro 81.
      Que viagem. O pai que tinha feito a mecânica toda do carro. Futuramente ele colocou injeção eletrônica, intercooler, turbo e teto solar. Adorava fazer essas coisas.
      Infelizmente não herdei o talento dele pra esse tipo de coisa. Mas sempre gostei muito do mundo automobilístico.

      Excluir
    3. Queria fazer uma pergunta ou pode ficar como sugestão caso a resposta seja negativa.
      Jeff, você já leu o livro do Neil Peart "Ghost Rider a estrada da cura"? Recomendo a leitura.
      A editora está lançando o novo livro dele que deve ser ainda melhor "Far and Away".
      http://whiplash.net/materias/livros/232057-rush.html
      Acho que serve de inspiração para futuras postagens aqui no blog.
      Um abraço!

      Excluir
    4. Obrigado pela dica, lerei assim que tiver oportunidade!

      Excluir
  6. hsahusahusahusahuash realmente, eu sempre menciono a todos que converso sobre moto a sua gloriosa frase "não é só sentar e sair acelerando" hahahahah
    Mas a diferença das motos em relação à sua cilindrada alem da relação potencia e aceleração, também está no peso! que muitas vezes se faz imperceptível, até o momento em que ela cai na sua perna! Principalmente naqueles acidentes BESTAS onde voce ACHA QUE ABRIU O PESINHO mas quando larga a moto, havia sido que não kkkkkkkk ai a bicha, desmancha no chão, se voce tiver costas treinadas até consegue segurar ela, mas fica no quase!

    Recentemente quando pilotei a Kawasaki 650KLR rapazzzz que motor em, que motor! e que moto!
    Andei por essas pedras e buracos parecia que estava nas rodovias do EUA, parecia que não estava em contato com o solo!
    Mas é o seguynts... acelera-se apenas um decimo, aquela minima coisa de nada e a bicha ja sai empinando! pior e mais forte que a xt660. a xt ainda é criança do lado da KLR.

    Imagina um nego que não sabe como pilotar um bixo desses e pega esses canhões em forma de moto que são essas de speed, deuzulivre, isso ai nem faz curva direito, e uma pessoa que não sabe nem a proporção aceleração e velocidade/controle não pode nunca viver mais de uma semana após comprar uma moto dessas kkkkkkkk

    ResponderExcluir