terça-feira, 4 de julho de 2017

Quando é hora de trocar os pneus?

Quando é hora de trocar um pneu?

A regra geral para a segurança é trocar o pneu assim que ele atinge o indicador de desgaste da banda de rodagem, em inglês Thread Wear Indicator (TWI).

Você encontra algumas marcas TWI na lateral do pneu:

Elas servem para dizer que na direção dessa marca lá dentro do sulco central (ou nos sulcos laterais se o pneu não tiver um sulco central) você encontrará ressaltinho(s) de borracha:

A altura do ressaltinho corresponde à profundidade mínima recomendada para o(s) sulco(s) de escoamento de água mais próximo(s) do centro do pneu.

O indicador mostra que esse pneu dianteiro ainda pode ser usado por um bom tempo com segurança nos dias de chuva.

Mas o pneu traseiro da Jezebel já chegou ao limite de desgaste, o ressaltinho de borracha TWI está rente à superfície da banda de rodagem.

O sulco já está raso demais para conseguir escoar e dar vazão à água, esse pneu corre um grande risco de causar uma aquaplanagem.


Além dos riscos de aquaplanagem e de apreensão em uma blitz, há outro bom motivo para condenar esse pneu traseiro:

Rachaduras no flanco da carcaça.

Coisas como essa você só percebe olhando os pneus bem de perto, por exemplo quando você mesmo lava a moto.

Ninguém no lava-rápido vai se preocupar em te avisar que viu rachaduras no pneu.

E aquela olhada básica em pé antes de sair com a moto nem sempre permite ver detalhes como esse até por conta do ângulo de visão, falta de iluminação direta e distância da inspeção.

Rachaduras na borracha costumam aparecer em pneus de motos que ficam muito tempo paradas ou rodam com pressão abaixo da ideal. 

Rachaduras aumentam de tamanho e acabam mordendo a câmara, causando seu estouro repentino.

Estouro da câmara — o popular estouro de pneu — causa perda de controle, é muito difícil evitar uma queda.

Isso gera uma situação potencialmente fatal:
Imagem e reportagem: http://g1.globo.com/pr/norte-noroeste/noticia/2016/04/pneu-traseiro-de-moto-estoura-e-mulher-morre-na-queda-em-rodovia.html

Então o pneu traseiro está condenado e o pneu dianteiro está bom, mas eu coloco na lista de compras uma câmara de ar nova e vacinada contra furos para o pneu dianteiro.

Porque apesar de o pneu dianteiro estar aparentemente em bom estado, meia vida, essa câmara está ali dentro já tem uns dois anos e meio.

Minha moto ficou parada muito tempo e pode haver um dano localizado (apodrecimento da borracha) por umidade acumulada no ponto que ficou mais baixo durante meses.

Ou reação química da vacina lá dentro... não sei o que ela é capaz de fazer apodrecendo acumulada em um mesmo ponto. 

O ar sempre tem umidade presente, e o risco de estouro do pneu dianteiro não compensa uma economia de 30 reais.

Esse era um dos motivos que não me animavam a sair rodando com a moto depois que ela foi resgatada de Santa Catarina há um ano.

E ao fazer a troca, um pneu dianteiro novo também poderá entrar na lista.

O que determinará isso é a inspeção por dentro da carcaça para ver se não existem danos internos, ainda mais perigosos que as rachaduras externas.

O pneu é a única coisa que nos impede de cair da moto e não vale a pena economizar com isso.

Um abraço,

Jeff

5 comentários:

  1. Fala Jeff.
    Lavar a própria moto é uma ótima maneira de inspecionar e revisar. Mas, eu quase nunca lavo ou deixo lavarem. Quando troquei a corrente de comando da Falcon, quase tive que brigar na concessionária pra não lavarem. Chegou a ser engraçado. Na entrega, eu puxava o guidão de um lado e o funcionário puxava do outro. Ele queria lavar pelo menos o motor. Não deixei. Motivo da neura: toda vez que lavo a moto sou alvo dos bandidos e tenho que reproduzir aquelas cenas de filme americano de perseguições. Só que não é nada divertido, na vida real.
    Procuro sempre fazer uma inspeção geral antes de sair. E, mais inacreditável, tenho verificado o óleo todos os dias.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahaha... a risada é por conta da última frase.

      Porque o risco de ser assaltado não tem nada de engraçado. Esse é o motivo de eu ter optado por uma Kansas ou uma Fenix Gold, a gente anda um pouco mais tranquilo.

      Um abraço,
      Jeff

      Excluir
  2. Com a Suzuki aqui na minha região é a mesma coisa... Quando olham pra moto acham linda, mas quando falo que tenho que comprar filtro no Mercado Livre e lâmpadas na China (pra escapar da concessionária e seus preços abusivos e frete nem se fala) até os bandidos desanimam... E nem assim quase nunca lavo a moto, mas é por por pura preguiça mesmo kkkkk
    Abraço!

    ResponderExcluir
  3. Boa noite. Pode me indicar uma marca de pneu de qualidade? Tenho uma intruder 125 e sou nossa nessa aventura de moto e estou tentando aprender o máximo para n see passada para trás. Obg

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, leitora!

      As marcas tradicionais não costumam dar problema em velocidades baixas: pirelli, michelin, maggion, metzeler, dunlop... A marca menos conhecida que já usei foi o rinaldi (não confundir com remold de remoldado, pneus remoldados não são confiáveis).
      Tudo de bom,
      Jeff

      Excluir