quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

O que quer dizer SAE 10W-30 e SAE 20W-50?

10W-30, 15W-40, 20W-50 são categorias de viscosidade de óleos lubrificantes multiviscosos, definidas por norma específica da SAE (Society of Automotive Engineers) dos EUA.


Imagem: www.automobiliaplanet.com

Objetivamente, um óleo SAE 20W-50 é um óleo de viscosidade SAE 50 (medida em dias normais) que em baixa temperatura se comporta da mesma maneira que um óleo SAE 20 medido no inverno, quando o frio aumenta a viscosidade e os óleos ficam mais densos, difíceis de fluir.

Daí o W, ele vem de Winter, inverno em inglês.

Se quiser entender melhor o que é um óleo multiviscoso e como essa classificação funciona, leia o restante da postagem.


Antigamente Quando eu era um filhote, não existiam óleos multiviscosos, como os 20W-50; cada óleo era de uma única categoria.


Eu cheguei a ver meu pai ajustando a viscosidade no Mercury 1948 dele.
Quase igual a esse, só que verde escuro. Lindão.
Imagem: shannons.com.au

Ou o óleo era SAE 50, ou era SAE 40, ou era SAE 30, etc., e você usava a viscosidade mais adequada para a época do ano.

Como todo mundo sabe, em baixa temperatura o óleo fica mais viscoso, ele 'engrossa'; demora mais para escorrer. E no verão ele 'afina', 'perde' a viscosidade, fica mais fluido, lubrifica com menos eficiência.

Então no verão você usava um óleo SAE 40 ou 50, e no inverno usava um óleo SAE 15 ou 20, e ia variando conforme necessário. 

O avanço da tecnologia criou óleos com viscosidade mais estável, que não variavam tanto em função da temperatura, daí que surgiram esses tipos de faixa de viscosidade ampla, os óleos multiviscosos.

Mas o que significam realmente aqueles números misteriosos? 

Existem vários métodos de medição da viscosidade aplicáveis a diferentes tipos de materiais, mas basicamente, no caso que nos interessa, óleo lubrificante, mede-se o tempo que uma quantidade exata de óleo leva para esvaziar um recipiente com uma saída calibrada.

A coisa não é tão simples, existem inúmeras variáveis com equações que são coisa de maluco cientista, vou simplificar bastante para facilitar a compreensão:

Se o método fosse simples assim, imagine que um desses recipientes cheio de óleo à temperatura normal levasse 50 segundos para se esvaziar, então ele seria classificado como tipo 50.

A mesma quantidade de um óleo menos viscoso à mesma temperatura levando 30 segundos classificaria esse óleo como tipo 30.

Um óleo ainda menos viscoso levando 10 segundos seria o tipo 10.

Não é exatamente assim que é feito, mas esse é o espírito da coisa.

Para facilitar as contas, e sem compromisso com dados reais, vamos imaginar que numa dada temperatura bem fria, escolhida para ser o padrão da norma norte-americana, todos os óleos demorassem 3 vezes mais para esvaziar aqueles recipientes falados lá em cima.

Na vida real, cada um se comporta de um jeito ligeiramente diferente, não existem números redondos e entram diversas outras variáveis, mas isso interessa só aos que lidam profissionalmente com isso, não é o caso aqui. 

Nessa situação hipotética de baixa temperatura, o óleo 10 demoraria (3 x 10) = 30 segundos, o óleo 15 demoraria 45 segundos e o óleo 20 demoraria 60 segundos, correto?

Mas saber isso não tem muita aplicação prática, porque assim que o motor esquenta, o óleo ‘afina’. 

O importante é saber como o mesmo óleo vai se comportar em temperaturas diferentes, e é para isso que serve a classificação SAE.

Com base naquele exemplo numérico, a coisa ficaria mais ou menos assim:

Se esse cenário fictício acima fosse realidade, um óleo 10W-30 apresentaria praticamente a mesma viscosidade tanto no verão quanto no inverno (desconsiderando a temperatura, seria equivalente a um 30-30).

Um óleo 15W-40 ficaria um pouco mais viscoso (desconsiderando a temperatura, seria equivalente a um 45-40).

Um óleo 20W-50 ficaria ainda mais viscoso (desconsiderando a temperatura, seria equivalente a um 60-50).

Lembrando que estes exemplos numéricos não se baseiam em dados reais, não têm nenhum compromisso com a exatidão, é basicamente isso que aquela fórmula misteriosa quer dizer.

Não é nada do outro mundo, é apenas uma maneira de dar uma ideia aproximada de como um óleo irá se comportar no verão ou no inverno.

O que isso influencia em nossas motos?

Assunto para outra postagem, que esta aqui ficou loooonga.

Um abraço,

Jeff

Nenhum comentário:

Postar um comentário