domingo, 26 de março de 2017

Óleo sintético, verdades e propagandas

Este vídeo da shell mostra a atuação do óleo dentro de um motor de automóvel e ajuda a esclarecer vários pontos que martelo aqui:

Primeiro vou falar sobre a diferença entre óleo sintético, semissintético e mineral.

Enquanto o óleo mineral é refinado do petróleo, um caldinho de bichos e vegetais mortos acumulado, pressionado, cozido e condensado por centenas de milhões de anos, o óleo sintético é formado por síntese direta a partir do gás natural.

Gás natural é a parte gasosa desse caldinho acumulado, pressionado, cozido e condensado por centenas de milhões de anos.

São moléculas menores e mais leves.

Um óleo sintético puro obtido a partir de gás natural tem moléculas quase todas iguais de um tamanho pequeno bem determinado.

O óleo mineral tem moléculas para todos os gostos, grandes e pequenas, além de outras coisas inúteis que se fossilizaram junto com os pobres dos bichinhos.

Como não tem coisas inúteis como o enxofre, o óleo sintético puro também não tem cor — a cor amarelada vem dos aditivos detergentes e estabilizantes químicos. 

De tudo isso aí vem essa característica do óleo sintético lubrificar melhor.

Segunda coisa:
Imagem e artigo: https://www.autobody-review.com/shop/8696/service-king-copperfield/article/3691/the-pros-and-cons-conventional-vs-synthetic-oil

Todo artigo sobre óleo sintético adora mostrar essa imagem aí de cima, como se as moléculas de óleo fossem grandes bolinhas regulares deslizando sobre uma superfície metálica perfeitamente lisa...

Isso é muito enganoso, porque uma foto da pista de um rolamento (uma das coisas mais lisas que é produzida industrialmente para diminuir o atrito) ampliada 1.500 vezes mostra isto aqui:
Imagem e divulgação: http://dubaimarketingexperts.com/Prototypes/lenco/

A foto de cima à esquerda mostra a superfície da pista de um rolamento sem uso, a de cima à direita mostra o mesmo rolamento depois de rodar um bom tempo com óleo sintético "premium".

Ué, mesmo com óleo sintético bom pra xuxu teve desgaste?

Pois é, né? Que coisa... quem imaginaria? Eu! Eu!

Mesmo a foto de baixo, que mostra a superfície depois de passar pelo processo de micropolimento com um aditivo para melhorar a qualidade da superfície, ainda não é perfeitamente lisa. 

São fotos reais, não é computação gráfica, não é "misticismo" — são fatos.

Eu usei microscópios nos laboratórios de Metalografia do colégio técnico e da faculdade, sei do que estou falando. Nada de computação — naquela época PC era só o partido que não se podia falar o nome.

Qualquer uma daquelas irregularidades superficiais é tremendamente maior que as moléculas do óleo, e ele escoará rapidamente por entre os vales e elevações se não for suficientemente viscoso.

Terceira coisa:

O atrito entre as irregularidades metálicas provoca sua quebra e esse pó de aço duríssimo e outros metais fica circulando dentro do seu motor — isso é inevitável.

Como a shell disse, "o dia em que o seu motor sai da linha de produção é o dia em que ele está em suas melhores condições" — daí pra frente, é só desgaste.

Um óleo de boa qualidade e viscosidade adequada protege melhor contra o desgaste, um óleo inadequado não protege tão bem, mesmo sendo de ótima qualidade química — o que importa é o resultado final.

Se você acreditar no que dizem as fabricantes de óleos e de motos, a parte desse pó metálico que for menor do que os poros e não for retida pelo filtro ficará circulando lá dentro por 3, 5, 6 ou 10 mil quilômetros.

As micropartículas abrasivas ficarão lixando tudo que encontrarem pela frente — camisa do cilindro, mancais e moentes de virabrequim, bronzinas nas motos maiores, rolamentos — mas o pessoal insiste em dizer que o óleo semi/sintético "protege melhor".

Por que dizem isso?

Por que se baseiam apenas no fato de ele durar altas quilometragens sem se degradar...

Não consideram a nocividade dos contaminantes formados inevitavelmente pelo desgaste natural do motor, só raciocinam em termos de durabilidade química do óleo.

Essa é a realidade, mas as propagandas de divulgação do óleo sintético adoram mostrar bolinhas e superfícies perfeitas...

Conceitos simples são fáceis de entender e vendem fácil, conceitos mais complexos envolvem conhecimento técnico que a imensa maioria da população, e muita gente que trabalha nessa área, não possuem.

Dentro do motor a coisa é feia, é porrada, tiro e bomba e não é qualquer óleo que segura o rojão — ele tem que ter coesão, e coesão é sinônimo de viscosidade.

Quanto menos viscoso, mais fino o óleo, mais fácil ele escoará sem formar uma "almofada" hidráulica capaz de isolar as peças metálicas.

Quarto:

Por estar livre daqueles contaminantes inúteis fossilizados no caldinho, o sintético é muito mais estável quimicamente.

Ele não se oxida tão facilmente e não é tão ativo quimicamente quanto o mineral, o que prolonga sua vida útil.

Isso é fato e é correto. 

O errado é usar essa desculpa para justificar intervalos de troca de óleo tão exagerados fazendo de conta que não existem outros fatores sérios.

Quinto:

O vídeo mostra que todo motor gera contaminantes devido ao seu funcionamento, e o óleo os remove.
Imagem: Vídeo acima da shell https://www.youtube.com/watch?v=rGn-w3h5_hw

Para onde vão esses contaminantes?

Os maiores ficam retidos no filtro, mas os menores passam através dos poros e continuam flutuando junto com o óleo, escurecendo-o e lixando as peças. 

Quanto maior a quilometragem de troca, maior a concentração desses contaminantes, mais eficiente será o lixamento interno do motor.

Mas ninguém leva isso em conta na hora de falar da "melhor proteção oferecida pelo óleo semi/sintético".

Dica: Lixamento dentro do motor não é uma coisa legal.

Em sexto lugar, a fabricante do óleo enfatiza que o sintético não produz borra.

Bacana, né?

Então qual o nome disso aqui?
Imagem: Vídeo do Furlani Postagem: http://minhaprimeiramoto.blogspot.com.br/2016/12/o-que-e-descarbonizacao-e-flush-do-motor.html

Mas se a shell diz que o sintético não forma borra, então por que a gente encontra um monte de borra nos motores das motos que usam o maravilhoso e extraordinário óleo semissintético?

Calma que eu explico, a resposta está no final da página, é só ler até lá — e você não vai gostar de saber.

Em sétimo, a fabricante do óleo mostra o comparativo entre um óleo usado e um óleo novo, e o óleo usado é visivelmente mais espesso, escoa com mais dificuldade que o novo.
Imagem: Vídeo acima da shell https://www.youtube.com/watch?v=rGn-w3h5_hw

Alguns óleos se degradam e afinam (base petróleo naftênico) e outros se degradam e engrossam (base petróleo parafínico).

Isso é característica do campo de petróleo usado como fornecedor de matéria prima para o refino do lubrificante, cada refinaria gera produtos de características diferentes e é por isso que um óleo Mobil ou Castrol não se comporta como um Lubrax ou Motul ou Yamalube.

E o outro motivo para estar espesso é a poeira dissolvida de partículas de desgaste do motor, a "lixa líquida" que ficou lá dentro desde a última troca do filtro. Se é que alguém troca filtros de motores em testes de duração do óleo...

Tem gente por aí que vê o óleo sair que nem uma sopa grossa de dentro do motor depois de rodar altas quilometragens sem troca e fica felizaço da vida. Faz até vídeo para se gabar na internet, coitado...

Já a fabricante — alguém que entende de óleo — usa isso como exemplo para mostrar que o óleo está degradado e em péssimo estado...

Por aí você vê o quanto esse pessoal sem formação técnica que posta vídeos na internet e se gaba de ser muito entendido não sabe borra nenhuma do assunto.

Oitavo, a fabricante do óleo enfatiza a resistência à degradação química.
Imagem: Vídeo acima da shell https://www.youtube.com/watch?v=rGn-w3h5_hw

Um gráfico que não fornece valores fica bonito e passa bem a ideia, mas não serve pra nada — não sabemos o que essa diferença representa em termos reais e proporcionais.

Mas a shell diz que essa resistência à degradação química permite maiores intervalos de troca do óleo — e isso é verdade em relação à degradação química.

Um óleo mais estável tolera quimicamente intervalos maiores de troca... mas há aqueles outros fatores muito importantes. 

Na hora de falar sobre isso, as fabricantes de óleos se esquecem daqueles contaminantes circulando lá dentro do motor... 

Lembra da borra? 

Lembra do pó metálico?

A eficiência do filtro de óleo é responsabilidade do fabricante do motor, a da petroleira acaba no óleo — e o filhote de cruz credo mora na terra de ninguém entre essas duas.

Ou seja, a estabilidade química do óleo permite altas quilometragens, mas a contaminação por partículas de desgaste não permite.

Nem a fabricante do motor fala disso, muito menos a fabricante do óleo — e a encrenca sobra para o proprietário consumidor. 

Nono, se eu não perdi a conta:

A shell falou:

Óleos evaporam. Desaparecem do cárter.
Imagem: Vídeo acima da shell https://www.youtube.com/watch?v=rGn-w3h5_hw

Mesmo um bom óleo sintético tem taxas de evaporação na casa de 10%, a shell assume isso.

E qualquer óleo faz isso muito mais rapidamente se a viscosidade for inadequada para o clima na região de utilização.

Faz isso ainda mais rápido em motores esfriados a ar como os de nossas motos — eles trabalham muito mais quentes que os motores dos carros.

E esse é outro motivo porque a viscosidade precisa ser adaptada para cada local.

Como ele evapora, um óleo de viscosidade inadequada precisa ser reposto com muito mais frequência, daí um dos motivos para sua inadequação.

E é por isso que os motores honda de antigamente usando óleo 20W-50 mineral "tecnologicamente inferior" aguentavam o relaxo de seus donos que não repunham o óleo consumido / evaporado, enquanto os motores novos usando 10W-30 "de alta tecnologia", mas menos viscoso, ficam sem óleo e estouram e trincam cabeçote. 

Décimo, o motivo principal para a inadequação de óleos de baixa viscosidade:

O óleo precisa fazer uma "almofada hidráulica" entre as peças para evitar seu contato direto e minimizar o desgaste.

Se o óleo não tem viscosidade suficiente, ele escoa entre os microcanais e marcas de usinagem microscópicas das superfícies metálicas... piorando o desgaste.

Uma coisa que os engenheiros da honda esqueceram completamente quando adotaram o semissintético 10W-30.

A nova geração se encanta mais com bolinhas geradas por computação gráfica do que com fotografias ampliadas difíceis de analisar.

Ônzimo Undécimo Décimo primeiro, um detalhe do vídeo que permite explicar bem o que é a classificação de viscosidade W.

Veja o comportamento de óleos de mesma viscosidade no frio siberiano de –36°C...
Imagem: Vídeo acima da shell https://www.youtube.com/watch?v=rGn-w3h5_hw

Aquele óleo mineral que não fluiu é um óleo SAE 40, enquanto o shell Helix é um SAE 5W-40.

É para isso que serve um óleo multiviscoso SAE 5W-40:

Ele flui como se fosse um óleo mineral de viscosidade SAE 5 a 36°C negativos e funciona como um óleo SAE 40 a 100°C...

Ou seja, quase não altera altera muito pouco sua viscosidade no frio extremo.

Duodécimo Décimo segundo, o motor de sua moto muito provavelmente não é esfriado a água como os carros.

Por ser esfriado a ar, e praticamente não ser esfriado quando está parado, ele trabalha em temperaturas de até 160 a 170°C, muito mais elevadas que os 115 a no máximo 120°C dos motores de arrefecimento líquido.

Somente motos com motores grandes usam radiadores de água — a menor que conheço é a mvk Fenix Gold 250. E lembrei agora, a dafra Next 250 e a suzuki Inazuma 250.

As condições de temperatura são muito mais severas nas motos esfriadas a ar.

Mas você vai encontrar representantes de montadoras "quebrando o misticismo" sobre o assunto...

E dizendo que motores de motos maiores — motos maiores com arrefecimento líquido que não passam de 115 a 120 graus Celsius — "trabalham mais aquecidos".

E por culpa do óleo mineral!!!!! Quase caí da cadeira.

Motores grandes esfriados a água trabalham mais aquecidos que nossas motinhos sem radiador???

E sem radiador nem sequer de óleo???

Isso é o que as propagandas de óleos semi/sintéticos falam, mas não o que acontece no mundo real...

Quanto à autoridade autoatribuída desse pessoal para "desfazer o misticismo" do óleo...

Por que não comentaram sobre as partículas de desgaste circulando dentro do motor?

Eles tiveram aulas práticas de Metalografia?

Será que fizeram um curso de lubrificação industrial e refletiram sobre o que aprenderam?

Estagiaram no departamento de Manutenção de uma grande montadora?

Sério que o chefe de oficina que manda os funcionários fazerem as trocas de óleo fica em dúvida sobre o tipo de óleo que está segurando?

Não sabe qual é o óleo coa embalagem na mão?

Se a intenção era apenas fazer o pessoal gravar o nome do óleo, isso pegou muito mal.

Ficou mais com cara de propaganda do que de uma apresentação técnica séria desmistificando o assunto.

Pelo menos uma coisa esse último vídeo tem de bom:

Para 5 mil km, os funcionários da concessionária só recomendam o óleo semissintético...

Eles têm mais bom senso que a fabricante yamaha que recomenda o óleo mineral para 5 mil km...

Nada se compara à sabedoria adquirida pela vivência dos problemas na prática.

Décimo terceiro, o mais importante, o fundamental nessa história toda:

UM ÓLEO SEMISSINTÉTICO PARA MOTOS NÃO É UM ÓLEO SINTÉTICO PARA CARROS COMO O MOSTRADO NO VÍDEO DA SHELL.

Um óleo semissintético é uma mistura de óleo mineral com óleo sintético carregada de aditivos para compatibilizar um com o outro.
Artigo sobre óleos: https://escolademecanica.wordpress.com/2007/11/18/oleo-mineral-semi-sintetico-e-sintetico-diferencas/

Só as fabricantes sabem qual a proporção de cada um na composição de um óleo semissintético... 

O óleo semissintético é um produto mais barato híbrido que não possui as mesmas qualidades excepcionais de um óleo puramente sintético...

É pelo fato de o óleo semissintético ser na verdade um óleo MINERAL MISTURADO COM SINTÉTICO E ADITIVOS que ele se degrada mais que um sintético e forma toda aquela borra que a gente conhece e vê nos vídeos do Furlani e outros mecânicos profissionais. Curiosos mostram vídeos de troca de óleo, mecânicos mostram vídeos de motores abertos e endoscopias.

Mas a palavra "semissintéticotem um enorme apelo comercial, dá para vender bem mais caro, e esse óleo que não é tão superior assim é propagandeado por todo mundo como sendo a melhor coisa que existe.

Um óleo que vai salvar o planeta por ser mais ecológico evitando muitas trocas... às custas das vidas de nossos motores.

Tá bom. Não do meu.

Décimo quarto:

Lendo esse artigo acima escrito em 2007, antes da adoção em massa dos óleos sintéticos pela indústria automotiva e pela honda...
Artigo sobre óleos: https://escolademecanica.wordpress.com/2007/11/18/oleo-mineral-semi-sintetico-e-sintetico-diferencas/

... você notará que não há nenhuma menção à possibilidade de usar óleo de viscosidade mais baixa simplesmente por ser sintético...

... e os fabricantes — inclusive a honda para seus carros — não diferenciavam períodos de troca simplesmente pelo fato de o óleo ser sintético.

Aí em 2011 vem a honda e passa a indicar para suas motos (inclusive aquelas para as quais expressamente não recomendava óleo de menor viscosidade) um óleo fino trocado a longos intervalos de troca cada vez maiores com a desculpa de ser "genuíno" semissintético...
Imagem: http://www.revistaduasrodas.com.br/site/noticia/visualizar/916

"Genuíno" por quê?

Que тапиока esse óleo da honda tem para se achar mais genuíno que os outros???

"Desenvolvido pela própria fabricante"???

Me mostrem onde fica a refinaria de petróleo da honda que eu acredito, senão é mais uma baboseira de marketing...

E aí a honda acaba obrigada a dar 7 trocas de óleo gratuitas para deixar a bomba estourar no colo dos proprietários na hora em que pararem de levar as motos nas concessionárias e começarem a fazer as trocas por eles mesmos sem saber os macetes.

Ou fazer a troca com mecânicos doutrinados há 40 anos a colocar apenas a quantidade e "nem uma gota a mais"...
Imagem: Nem lembro mais onde achei, mas também não merece ser citado.

O pessoal aprendeu o ofício nos primórdios quando a honda recomendava 900 ml para a CG e até hoje fica divulgando isso na internet.

Deve ser bom para os negócios colocar 900 ml e nem uma gota a mais, a oficina dele deve ficar lotada de fregueses.

Décimo quinto (e último, prometo):

Se esse óleo semissintético é realmente tão bom, tão revolucionário, tão tecnologicamente porreta, tão melhor para sua moto, então alguém por favor me explique:

POR QUE OS MOTORES DE HOJE NÃO DURAM NEM 20% A MAIS DO QUE DURAVAM OS MOTORES DE ANTIGAMENTE?

SE O ÓLEO É TÃO BOM, POR QUE OS MOTORES DURAM MENOS?

O óleo semissintético não é vendido com a propaganda da alta tecnologia que garante maior proteção ao motor?

Cadê essa proteção e alta tecnologia se os motores hoje abrem o bico muito antes do esperado?

Percebeu a contradição?

Os óleos tão avançados tecnologicamente prometem milagres para a vida de seu motor, mas você não vê milagres por aí...

Os motores estão fundindo e pedindo retífica com quilometragens muito menores do que abriam o bico com os óleos "ultrapassados e de baixa tecnologia"...

Acorda, meu povo!

Usem o raciocínio e o bom senso.

Mas também não comprem briga com esse pessoal, não vale a pena.

Não saiam por aí pregando o que eu digo como se o blog fosse um livro sagrado e o autor uma vaca sagrada um touro sagrado...

As pessoas interessadas que descubram a verdade sobre suas motos por si mesmas.

Funcionários de empresas não deixarão de dizer o que dizem, continuarão dizendo o que a empresa manda dizer.

Não há necessidade de ninguém ficar fazendo campanha para atrair leitores para este blog.

Mesmo porque esse tipo de coisa, apesar de feita com a melhor das boas intenções, acaba ficando mal vista.

Em vez de passar a ideia da divulgação, acaba passando a impressão de que o blog está desesperado por audiência, e não é o caso — mesmo.

Divulgar links para o blog em toda e qualquer discussão na internet lembra aqueles caras que tentam vender produtos para emagrecer, são chatos bagaray.

E aí quem acaba levando a fama de chato (mais chato ainda) é o autor do blog...

Poxa, logo eu que evito sair por aí comprando briga?

Mas que não fujo de uma quando ela chega aqui no blog?

Por favor, não façam isso.

Ninguém é forçado a acreditar no que eu digo.

Quem tem olhos que veja. A frase não é minha.

Um abraço,

Jeff

44 comentários:

  1. Esse grafico da Shell me lembra o ótimo livrinho "Como mentir com estatísticas", que recentemente ganhou uma nova edição aqui no Brasil, embora eu prefira a edição dos anos 60, cujo trabalho de tradução captou melhor o humor da obra original. Leitura mais recomendada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oba, lerei se encontrar!
      Tem também aquela campanha famosa da Folha dos anos 90.
      Inigualável. Aliás a crise de então era bem igualável, sabemos hoje.
      Um abraço, McGyver!

      Excluir
  2. Corrija-me se eu estiver enganado: o óleo semissintético nada mais é do que o bom e velho óleo mineral com algumas "perfumarias". Isso não justificaria uma maior durabilidade, haja vista os subprodutos que são gerados durante o funcionamento do motor.
    Uso óleo mineral 20W-50 na minha Fazer, trocados a cada 2.000 Km (filtro trocado a cada duas trocas de óleo). O mecânico me sugeriu usar o semissintético 10W-40 Yamalube, alegando maior durabilidade do óleo. Pelo que entendi da postagem, o semissintético se comporta como o mineral, então não "dura" mais.
    Caso optasse pelo semissintético, teria que continuar a trocar com a mesma frequência, e monitorar o nível do óleo, como já faço. Seria este o procedimento correto?
    Outro ponto: o semissintético 10W-40 seria ideal para a nossa temperatura de operação? a troca traria algum tipo de benefício para o motor?
    Desde já agradeço.
    Um grande abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Luiz Augusto!
      O semissintético realmente tem um desempenho um superior ao mineral, mas não é tão bom quanto o sintético puro mostrado no vídeo da shell justamente por ser uma mistura. Funciona muito bem em motos de arrefecimento líquido e apresenta melhor resistência à temperatura elevada que o mineral, mas não tão boa quanto o sintético puro.
      Um óleo semissintético de mesma viscosidade 20W-50 teria um bom desempenho lubrificante e menor tendência a oxidar, pretejar e deteriorar.
      Nesse aspecto, ele dura mais. Mas a troca não pode ser feita nos intervalos absurdos recomendados pelas montadoras porque o óleo acumula detritos e nem todos eles ficam presos no filtro de óleo, os menores passam e ficam destruindo o motor.
      Quanto à viscosidade, o grande problema está no pessoal diminuir a viscosidade (no caso da honda, diminuir muito a viscosidade, de 50 para 30).
      Muita gente defende o uso do óleo 10W-40 porque rodava com 10W-40 para motores diesel turbo nas CB-400 ou outras motos grandes.
      Não levam em consideração que motores grandes não trabalham o tempo todo exigindo perto do máximo do motor. Ou então têm a ajuda do arrefecimento líquido, coisas que nossas motinhos monocilíndricas esfriadas a ar não têm.
      Sobre a viscosidade ser ideal, depende muito da região e época do ano. Um óleo 10W-40 irá atender bem o motor no outono, inverno e primavera, enquanto deixará o motor na sofrência no verão e nas horas mais quentes dos dias de outono e primavera.
      A coisa piora se você mora acima da região sul e piora cada vez mais quanto mais quente for sua região. Cuiabá, Recife, Manaus, Salvador, Rio de Janeiro, todas as cidades quentes o ano todo, o óleo 20W-50 é o mais adequado durante o ano todo e todas as horas.
      Fora que volta e meia aparecem os veranicos, temporadas quentes fora de estação... então usar o óleo 20W-50 te deixa tranquilo o ano todo, o 10W-40 trabalhará no limite da capacidade nos dias quentes e não oferecerá a mesma proteção.
      Essa diferença será percebida na vida útil do motor? Talvez sim, talvez não, dependerá muito da maneira como você usa sua moto (ralando ou poupando), de seu capricho na hora de repor e trocar o óleo e manter sempre no nível correto. Talvez um motor dure uns 30 mil km mais que o outro, é o tipo de coisa dificilmente mensurável.
      Mas eu uso 20W-50 e sempre usarei, e se algum dia experimentar usar o semi/sintético, será da viscosidade 20W-50.
      Um abraço,
      Jeff

      Excluir
    2. Obrigado Jeff...
      Trato a moto com carinho (ela merece :-) ), evito forçar o motor, quando dou uma esticada na estrada nao passo de 7.500 RPM. A maioria do meu percurso é em estrada, pouco no transito urbano.
      Vou continuar a usar mesmo o mineral 20W-50.
      Mais uma vez obrigado.
      felicidades.
      Abração

      Excluir
    3. Salve Luiz
      Legal cara voce tratar a motoca assim! Esta cada vez mais dificil encontrar motoqueiros assim, Cuide sempre bem dela que ela sempre te retribuirá rs

      Excluir
  3. Entres os minerais 20w50, qual vc mais recomenda? Mobil, lubrax ou yamalub?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Leylson!
      Gosto do Yamalube, Motul (rosado da refinaria francesa, não o amarelado da refinaria espanhola) e Lubrax.
      Um abraço,
      Jeff

      Excluir
  4. Tinha visto esse Vídeo ontem e ia te mandar mas cheguei tarde, é muita cara de pau desses fabricantes.

    Off-topic, Bakuon é bom por demais, obrigado por indicar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado duplamente, Ed!
      Bakuon mostra que muito do espírito motociclista é universal...
      E moto é mesmo questão de paixão, não de raciocínio lógico.
      Um abraço,
      Jeff

      Excluir
    2. E agradeça ao leitor Felipe Rafael Valenzuela, foi ele que indicou o vídeo em 7 de setembro de 2016...
      Mas aí a mensagem acabou perdida e eu acabei esquecendo e só descobri a série por acaso, acabei não dando o crédito que ele merece.
      Mas agora aquela postagem que ele sugeriu há mais de 6 meses vai sair!
      Eu de novo,
      Jeff

      Excluir
    3. Estamos aqui pra isso kkk
      Hoje eu estou tao lento que nem sei o que escrever 😪
      Eu assisto tanto animes que é um prazer indicar aos amigos e é melhor ainda quando fico sabendo que ele indicou a alguem, anime bom tem que ser espalhado.
      Toda vez que leio "postagem" lembro que estou te deve do aquela foto sobre o meu incidente com pneu... uma hora consigo tira-la 😁

      Excluir
    4. Tá vendo?
      Não sou só eu que esqueço as coisas prometidas... ainda bem que você lembrou, porque eu já não lembrava mais mesmo...
      Um abraço,
      Jeff

      Excluir
  5. Saudações.
    Jeff;
    Sei que o tópico aqui é Óleo.
    Porem como Vc. é um GURU e tem ajudado muita gente, gostaria de saber se Vc. tem alguma informação sobre substituir a BOMBA ELETRICA para BOMBA DE VÁCUO (Combustivel).
    Infelizmente aqui em nosso país tem coisas que ficam inviaveis de manter na originalidade R$R$R$ muitos irreais. Importar, o governos quer taxar tudo.
    Agradeço a Vossa atenção.
    Ninja.
    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Ninja / Lobo!
      Essa eu vou ficar devendo...
      Se essa bomba de vácuo for a que estou pensando, ela não gera pressão suficiente para o sistema de injeção eletrônica.
      Algumas motos e carros usam uma bomba de vácuo para aumentar a pressão sobre o carburador quando o tanque está mais ou menos no mesmo nível.
      Mas a bomba elétrica da injeção eletrônica gera uma pressão muito mais alta para atomizar o combustível no bico injetor, é muito superior à pressão máxima possível de ser gerada por uma bomba a vácuo.
      A menos que seja algum tipo novo que eu não estou sabendo.
      Abração,
      Jeff

      Excluir
    2. Corrigindo a informação, não é para aumentar a pressão sobre o carburador, é para fazer o combustível chegar até ele.
      Responder comentários logo de madrugada (10 da manhã) antes de acordar dá nisso...
      Eu de novo,
      Eu

      Excluir
  6. Ola possuo uma MT 03 e a yamaha indica o oleo 10w40 posso passar a usar o 20w50? É melhor? Moro em São Paulo obrigado ass aderbal santos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Aderbal!
      No seu manual de proprietário a yamaha recomenda indiferentemente o 10W-40 semissintético e o mineral 20W-50. Sempre considero o 20W-50 mais adequado, mas na MT-03 isso não é tão problemático por causa do arrefecimento líquido.
      Só não misture os dois tipos porque pode dar problema. Se mudar de tipo, coloque o novo óleo que pretende usar e descarte depois de rodar no máximo por cem quilômetros. Faça o mesmo procedimento se decidir mudar de novo.
      Um abraço,
      Jeff

      Excluir
    2. Isso vale apenas para o primeiro abastecimento de um tipo de óleo diferente, as outras trocas são normais enquanto se usar o mesmo tipo.
      Eu de novo,
      Mais uma vez.

      Excluir
  7. Adorei esse blog...eu uso 10w40 em todas as motos que já tive e todas com arrefecimento a ar, percebi que em dias mais quentes e como se a moto estivesse sem óleo. Estou pensando em usar 20w50 mas que pena que só tem mineral com essa especificação
    Vou continuar sendo leitor deste blog valeu!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Marcos!
      Pode ser difícil de encontrar, mas existe sim.
      As motos da bmw já usam óleo sintético 10W ou 15W-50.
      O número junto com o W não significa nada para nós porque aqui não temos temperaturas abaixo de zero, exceto alguns dias por ano em locais muito específicos.
      Um abraço,
      Jeff

      Excluir
    2. Marcos Henrique,existe sim o m20w50 semissintético da Castrol e o Mobil Extreme 15w50 semissintético além do Motul 5100 15w50.Boa sorte!

      Excluir
    3. Pedra acho que ele esta falando de oleo sintetico

      Excluir
  8. Queria tirar uma dúvida. Minha moto na primeira partida do dia, ou com motor frio, solta um pouco de agua pelo escapamento, e junto com essa agua sai também uma fumacinha branca, essa agua junto com a fumaça é mal sinal?
    Minha moto é fan 150 2012, uso óleo 20w50 e só uso gasolina aditivada.
    e tem dia que sai mais água e fumaça, outro dia sai menos, assim...
    minha moto é injetada e não apresenta fuligem no escapamento, e como eu já disse, só aparece a agua e a fumacinha com o motor frio. É só rodar um tempinho e depois para.
    obrigado. Meu nome é Douglas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Vanderson!
      Fique tranquilo, isso é supernormal. A combustão gera vapor de água e quando o escapamento ainda está frio ele se condensa e sai como água e vapor visível. Depois que a temperatura do escape aumenta, a temperatura do vapor também aumenta e você deixa de ver.
      Dá uma conferida na postagem http://minhaprimeiramoto.blogspot.com.br/2015/06/por-que-o-motor-solta-fumaca-pela-manha.html
      Um abraço,
      Jeff

      Excluir
  9. Jeff será que mantendo o nível do oleo sempre no máximo, e trocando a cada mil km irá aumentar significativamente a vida útil do motor? Esse 200 ou 250 ml a mais do que usar só 1 L faz tanta diferença assim ?
    É pelo fato de que o motor com o nivel correto o óleo é menos exigido e mantem suas características lubrificantes por mais tempo? Ou com 1 L e 250 ml faz a bomba mandar mais óleo para o cabeçote e consequentemente ter uma melhor lubrificação nessa parte do que usando apenas 1 L?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Vanderson!
      Aumenta sim, porque o motor foi projetado para trabalhar com essa quantidade de óleo.
      A quantidade de óleo que vai para o cabeçote é a mesma, a diferença é que ele trabalha em menor temperatura e por isso lubrifica melhor.
      O óleo faz um papel muito importante nas motos de arrefecimento a ar, que tirar o calor da parte alta do motor (cabeçote) e trazer para o cárter, onde a grande área de paredes de alumínio ajuda a dissipar o calor e esfriar o óleo.
      Não é questão de colocar óleo a mais, é questão de manter o nível que foi especificado pelos engenheiros quando projetaram o motor e que só é atingido dessa maneira.
      Rodando com menos óleo que o planejado, ele permanece sempre em alta temperatura porque nem deu tempo de esfriar um pouquinho e ele já está sendo bombeado de novo para o cabeçote. Já chega quente lá, rouba menos calor do que poderia.
      E quanto mais quente o motor trabalha, pior é a lubrificação das peças, porque quanto maior a temperatura, mais fino o óleo fica.
      Por isso que já começar com um óleo fino é um tiro no pé.
      Essa diferença é bem sensível nos motores das dafra Kansas e Speed.
      O fabricante "recomenda" 1 litro, mas os proprietários descobriram que os motores funcionavam melhor com 1,2 litro.
      Ainda assim os motores de quem fazia uso intenso em rodovia continuavam estourando.
      Foi quando comprei a minha e descobri que a quantidade certa era de 1,4 litro, o que depois confirmei fazendo o procedimento de medição do manual.
      E como postei aqui no blog, já rodei muito com a minha moto em estrada sem problema nenhum, assim como meus amigos donos de Kansas que passaram a usar a quantidade certa de óleo.
      A ponto de a gente se visitar mutuamente no Rio de Janeiro e em Florianópolis, detalhe, indo de uma para outra e vice-versa, 1.100 km para ir e 1.100 km para voltar.
      Um abraço,
      Jeff

      Excluir
  10. Bom dia Jeff, comprei mes passado uma Fan 2017 0km. Ela está com 560km hoje. Como vc sabe vem com óleo 10w30. Sábado passado verifiquei onível de óleo e estava abaixo do maximo.Fui na Honda e pedi pra colocar 100ml. Colocaram e apertaram a corrente ( estava frouxa). Mas a minha dúvida é : é interessante mudar pro óleo 20w50 a partir de quantos km? Pq a Honda faz revisão grátis até 4.000km. Depois começa a "dar oleo grátis " nas revisões... Vi que vc escreveu que se quiser mudar tipo de óleo tem q trocar com 100km somente, na primeira mudança? Acho q fica caro fazer isso...
    Outra dúvida : posso usar o alfaX como aditivo de óleo? Ele é bom mesmo?
    *Sempre usei motos Honda, Biz 125, Fan 150cc 2014 ( comprei nova, todas revisões Honda e não tive problemas,graças a Deus,vendi ela com 32 mil rodado, moto nova!)Vi ano passado um mototaxi na Honda com uma Fan 150 não sei o ano, com 90 mil rodado e moto fumacando um pouco, detalhe todas as revisões Honda. Ou seja, logo logo deve ir pra retifica..rsrs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola
      Voce pode trocar quando quiser, na primeira oportunidade resolvi sair daquele oleo horrivel que colocavam em minha moto, isso de oleo gratis é só pro pessoal nao estourar motor mais cedo tipo da pra eles ficarem de olho mais tempo. Eubtinha receio em sair entao esperei a garantia acabar mas conheco gente que saiu bem no começo... vai de voce. A troca de oleo ate 100 km é pra se no caso voce migrar de mineral para semissintetico ou sintetico, toda vez que voce for mudar nesse quesito é melhor realizar essa troca diferenciada para evitar a borra. Comigo por experiencia propria me arrependo de nao ter cuidado melhor dela no começo, hoje em dia faço tudo certinho... as manutencoes e as trocas de oleo inclusive uso 20w50 semissintetico, nao quis trocar pro mineral.
      Espero ter ajudado.

      Excluir
    2. Boa noite Felipe, agradeço a ajuda. Qual marca de oleo vc usa? Faz tempo q
      q usa?

      Excluir
    3. Boa, disponha... eu uso o castrol 20w50 semissintetico EXTRA, só encontro ele pela internet, diferente do mineral a embalagem é cinza claro e nao cinza escuro. Eu uso deve ter uns 10 mil km que pra min deve ser purai de 1 ano rs
      Oleo é uma coiaa pessoal vai bem de cada um e cada situacao, o pior oleo que ja coloquei(acho que ja fui em todos semissistetico) foi o mobil preto(epoca da concessionaria) nunca me desceu a desculpa deles pro oleo sair tao preto "se ta preto é pq ta fazendo seu trabalho" Sinceramente ao meu ver para nos que temos motos de pequena cilindrada nao existe muita difereça de mineral pra semissintetico, porque mesmo tendo uma tecnologia a mais blablabla nao podemos alongar tanto assim a troca. A maior burrada que eu fazia no começo era fazer a troca de vez de mil em mil para 1200 em 1200, caguei tudo inclusive tive que trocar os discos da embreagem apenas com 15 mil km. Foi ai que vim parar aqui, a troca foi só um pouco esticada mas por exemplo quando andava na castelo a 100 a motoca patinava, eu me cagava todo kkk
      Entao volto a te dizer(nem lembro se disse) nao vai pela ideia dos outros, pega seu manuel e faz uma planilha pra voce acompanhar melhor, le com calma pra nao se perder ou ser enganado, pesquisa tira as duvidas. Ja tenho a motoca a 5 anos e ainda to descobrindo coisas rs
      Sobre corrente
      Deixa a famosa graxa branca de lado, ela faz muita sujeira e encrosta que é uma blz, procura algum tipo de oleo lubrificante para correntes, é barato nao faz muita sujeira e protege bem. Corrente com retentor é show de bola, só que é caro e quando voce tiver que trocar o pinhao e a coroa tera que trocar o conjunto todo... por falar em coisa cara cuidado com o "gratis", isso nao existe sempre alguem banca a conta o barato pode sair caro... eu me mantive na concessionaria ate o termino da garantia pois ja aconteceu com um conhecido que tinha um golzinho g5 que do nada o motor ficou roxo, era quase zero levou na concessionaria e eles deram outro pra ele apos uma data agendada, nunca disseram o que aconteceu diziam que eles nem sabiam que iam enviar a fabrica pra saber o que era(estranho) mas eu lembro que a gente zuou demais aquele golzinho kkkk

      Excluir
    4. Bom, para saber o que aconteceu com o Gol G5, é só ler a postagem Olha só quem se ferrou com óleo sintético menos viscoso
      http://minhaprimeiramoto.blogspot.com.br/2016/10/olha-so-quem-se-ferrou-com-oleo.html
      E só lembrando, óleo para corrente de moto é caro, é vendido em aerossol e não dura nada.O óleo barato é o óleo para corrente de motosserra, faz seu trabalho e quase não pinga.
      Um abraço,
      Jeff

      Excluir
    5. Eu havia lido a postagem mas nao liguei os pontos.
      O oleo que eu uso pinga um pouco se voce passar demais e nao é caro, apos algum tempo ele cria uma pelicula, parece que nao tem nada mas tem... quando eu lembrar o nome te passo email rs

      Excluir
    6. OK, fico no aguardo!
      Mas hoje estou parando, caindo de sono aqui, preciso aproveitar...
      Comente à vontade, que amanhã eu publico. Hoje não dá mais...
      Um abraço,
      Jeff

      Excluir
    7. Ta parecendo o morcego que eu atropelei ontem de manha... ou ele me atropelou... sei la kkkk só sei que ele explodiu e só me restou o preju na roupa rs

      Excluir
    8. Olá, Felipe!
      Cuidado com morcegos!
      São vetores para raiva canina, dependendo de quanto sangue você (e quem cuidou de sua roupa) teve de lidar pode ser prudente ir(em) tomar a série de injeções antirrábicas...
      Raiva não tem cura, a única maneira é prevenir o surgimento da doença em sua fase inicial com as injeções antirrábicas.
      Pesquise o assunto e não demore a tomar as providências que julgar necessárias.
      Um abraço,
      Jeff

      Excluir
  11. Bom.dia Jeff, comprei uma Fan 2017 160cc zero km. Hj está com 560km. Miha dúvida : vale a pena mudar de óleo pra 20w50? Outra coisa : usei uma Fan 2014 zero km também e sempre usei oleo Honda 10w30 e nunca deu problema,trocava oleo de 4 a 4 mil km , vendi ela com 32 mil km rodado.
    Detalhe: vi um mototaxi na Honda com uma Fan 2014 também com 90 mil rodado e fumacando e ele disse q faz todasrevisões Honda. Kkk Deve ser o óleo q é fino demais?
    OUTRA COISA: vale a pena usar ba minha Fan 2017 o aditivo Alfa x?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Alysson!
      Ontem tive problemas para responder comentários e perguntas no blog, e sua dúvida quase passou batida...
      O Felipe respondeu sua dúvida quanto aos 100 km, somente é recomendável em caso de mudança de um tipo semi/sintético para um mineral e vice-versa, ou em caso de mudança de marca de semi/sintético.
      Quanto ao custo de trabalhar com um óleo ou outro, no final das contas o resultado não difere muito. Trocar o óleo mineral a cada mil km acaba saindo quase a mesma coisa que trocar o semi/sintético a cada 1,5 a 2 mil km, que é o máximo recomendável para motores arrefecidos a ar ou 2,5 mil km para motores a líquido.
      Por que não usar o semi/sintético pelas quilometragens absurdas recomendadas pelas fabricantes?
      Porque as impurezas geradas pelo desgaste normal e contínuo do motor precisam ser removidas para não ficarem comendo o motor por dentro. Nem tudo é retido pelo filtro de óleo, o que é menor passa e fica circulando junto com o óleo.

      Sobre aquele motor estar fumando com 90 mil km:

      Certamente o óleo fino contribui para isso. Motor fumaçando está carbonizando a cabeça do pistão, exige cuidado para evitar a perigosa situação da "batida de pino" que pode destruir um motor em minutos.

      E o motor desse motoboy só chegou a uma quilometragem tão alta por causa da profissão dele.

      Motores que trabalham sempre aquecidos vivem melhor do que aqueles de usuários que rodam 10 km para o trabalho, 10 km para a escola, 20 km para casa. O motor roda sempre frio, quando começou a tomar gosto por rodar porque as folgas chegaram nos níveis corretos, acaba desligado por várias horas.

      Quanto ao aditivo que você perguntou, não conheço, nunca usei.

      Mas entrei no site deles e o pessoal tem um bom currículo, realmente conhece o assunto e os produtos para equipamentos industriais como respiros para redutores e pinos graxeiros com válvula de alívio mostram intimidade com manutenção industrial.

      Fui estagiário no departamento de manutenção de uma montadora de caminhões pesados e sei que esses produtos são algo que traz resultados para o usuário, mas não para os fabricantes de equipamentos industriais e suas peças de reposição, não para as petroleiras...

      O fabricante do aditivo rema contra a maré, gosto da atitude deles.

      Sendo o AlfaX um condicionador de metais, deve ser algo parecido com o Militec, o qual usei e realmente apresentou resultados sensíveis, conto a experiência nas postagens:

      http://minhaprimeiramoto.blogspot.com.br/2014/07/velocidade-de-cruzeiro-motor-rajando-e.html

      http://minhaprimeiramoto.blogspot.com.br/2014/08/jezebel-e-o-militec-na-ultima-viagem.html

      Gostei muito de uma frase que está no site do fabricante do AlfaX:

      "Nossas escolas técnicas e de engenharia não ensinam lubrificação. Nenhum profissional está preparado."

      "As reduções de custos possíveis assustam e vem a pergunta: Porque não vi antes? Será que vão achar que sou incompetente? Resultado: Melhor deixar do jeito que está."

      "Não acreditam que estes resultados possam ser alcançados."

      Imaginei vários balõezinhos de pensamento saindo da cabeça de alguns engenheiros de algumas montadoras velhas conhecidas nossas...

      Um abraço,

      Jeff

      Excluir
    2. Boa noite Jeff, agradeço a ajuda. Vou resolver que marca usar de óleo na minha moto. Mas até os 4 mil vou usar o oleo da Honda. Afinal, a moto esta na garantia e é "gratuito".
      Aproveitando q to falando com vc, qual maneira correta de lavar/limpar corrente de moto? Usa oleo diesel ou querosene? E depois lava com sabão e detergente. E seca. Depois lubrifica.

      Excluir
    3. Olá, Alysson.
      Os fabricantes recomendam lavar com querosene, não gosto da ideia de usar água e sabão. Para falar a verdade, não costumo lavar a corrente, apenas lubrificada com uma boa quantidade de óleo.
      Correntes com retentores possuem graxa alojadas entre pinos e elos, e quanto mais solventes você usar, mais atacarão a borracha dos retentores e eliminarão a graxa interna.
      E tenho alcançado quilometragens satisfatórias com essa prática.
      Um abraço,
      Jeff

      Excluir