sábado, 1 de abril de 2017

Peguei fogo... e agora?

Vídeo da reportagem da globo mostra acidente onde motociclista cai, a moto pega fogo e ele sai correndo desesperado com as roupas em chamas:
Imagem, vídeo e reportagem: http://oglobo.globo.com/rio/video-mostra-homem-tomado-por-fogo-apos-cair-de-moto-no-tunel-reboucas-21143750

As imagens mostram a reação instintiva de todo mundo:


Sair correndo para se livrar do fogo que dá a impressão de estar em toda parte — quando na verdade está apenas nas próprias roupas.

O que fazer nessa situação?

Primeira coisa, não saia correndo!


Sair correndo só aviva as chamas.


Tenha consciência de que são apenas a poça de gasolina e as suas roupas pegando fogo.


Saia do incêndio da moto, se jogue no chão imediatamente depois de sair da poça de gasolina e comece a rolar para um lado e outro sem parar.

Rolar o corpo rapidamente para um lado e outro no mesmo lugar é suficiente para apagar o fogo das roupas.

Não desista, não pare.

Tentar arrancar as roupas não irá funcionar porque elas ficarão presas nas botas / sapatos.

E você queimará mãos e braços na tentativa inutil de tirá-las, piorando ainda mais a situação.

O tamanho e a profundidade da área de pele queimada são os fatores fundamentais para determinar a gravidade do caso, não piore as coisas queimando mãos e braços.

O procedimento de rolar para apagar demora um pouco, mas é a maneira mais eficiente e rápida para lidar com a emergência sem ter um extintor.

Funciona muito melhor do que sair correndo...

Além disso, ficar no mesmo local facilita ser ajudado por alguém que chegue com um extintor.

Apagado o fogo, remova as roupas queimadas antes que grudem na pele.

E procure ajuda médica imediatamente — a vítima vai precisar receber soro o mais rápido possível para tentar evitar o comprometimento irreversível dos rins.

Grandes queimaduras como essas são coisa muito séria.

Para mais informações, leia a postagem O que eu faço se a minha moto pegar fogo?

Um abraço,

Jeff

20 comentários:

  1. Manter a calma e seguir os procedimentos... Parece dificil a principio.
    Me lembrei agora do Matt Kowalski no filme Gravidade, naquela situação e ele na maior tranquilidade... Pense num cara foda.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E eu achando que o Matt Kowalski era o cara que passou um ano plantando batatas... mas aquele era outro Matt.
      Matts só se ferram.
      Um abraço,
      Jeff

      Excluir
  2. Respostas
    1. Hahaha...
      Em compensação, é super badass...
      Abraço,
      Jeff

      Excluir
  3. Jeff! É um prazer falar com você, sou seu fã de carterinha e grato eternamente por esse acervo que é seu blog, conheci seu blog faz 8 meses e li todo seu blog desde o inicio e hoje cheguei na sua publicação do dia 1 de abril..sou habilitado na categoria b desde 2005 e desde então trabalgo com o carro na rua atendendo meus clientes na cidade de São Paulo e cidades vizinhas,no ano passado decidi ultrapassar uma barreira...me preparar para tirar adicionar a categoria A em minha cnh e começar a trabalhar de moto ( algo que sempre tive medo tanto pelos acidentes diários aqui na cidade como também pelos furtos/roubos de moto.) antes de ir na auto escola para fazer a matricula comecei a pesquisar sobre motos e achei seu blog e já nas 10 primeiras postagens que li, adotei seu blog como um curso avançado de cfc. Adiei a inscrição e comecei a acompanhar seus posts com o objetivo de aprender tudo que pudesse me passar e tbm lia todos os comentários dos posts a fim de aprender com quem tbm entendia mais do que eu (que não sabia nada) assim antes de qlq coisa eu iria saber onde eu estaria entrando.... Cara você é um grande SALVADOR DE VIDAS. Você presta um serviço a tanta gente voluntariamente e eu aprendi muito. Já Fiz minha inscrição na auto escola e ja fiz as aulas práticas só falta a prova... Mas tirando essa burocracia de lado hoje aos 33 anos me sinto pronto para passar por esse obstaculo.. Vice me passou com seus textos e vídeos uma visão de como é estar no trânsito em um veiculo de 2 rodas. Me mostrou como olhar a frente e observar uma situação de risco, ainda estou trabalhando de carro.. Porem fico observando as motos passando e identificando quem é um bom piloto e quem anda colocando a própria vida e a de outros em risco... Me tornei tambem um motorista de carro mais antenado com as motos que passam por todos os lados, enxergando as motos, os motoqueiros e as buzinadas chatas de cada um deles (risos) com outro olhar.... Hoje me sinto preparado por enxergar o meu lado como motorista de carro e tbm o motociclista antes de ser um de fato... Me faltam palavras para te agradecer tamanha ajuda por dividir comigo toda uma vida sua em 2 rodas.... Curti cada viagem, aquisição das motos, panes durante as viagens, e principalmente a denuncia contra as montadoras com a fraude do óleo pra cima dos clientes, problemas de recall, entre outros... Em breve estarei habilitado e irei seguir muito cada coisa que me ensinou e tambem irei pedir conselho de qual 125cc devo adquirir custo x beneficio honda, dafra, Suzuki ou Yamaha... Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa, Marcelo!!!
      Fiquei emocionado aqui lendo seu comentário!
      Obrigado mesmo por esse retorno! Fico imensamente feliz que o blog esteja atingindo seus objetivos!
      Sua experiência no trânsito ajudará muito a enfrentar o dia a dia com a moto! Eu mesmo tenho habilitação há 38 anos e pilotei somente 8 anos, 2,5 anos com a primeira moto e mais 6 anos e pouco com a Jezebel e a Edith. Mas aprendi muito atrás do volante.
      Uma coisa bacana de andar de moto é que andando de moto a gente se torna mais solidário, a gente passa perrengues e consegue imaginar o perrengue do outro...
      Nos meus tempos de iniciante a gente aprendia conversando com os amigos mais experientes. Hoje isso é mais difícil, quase ninguém tem tempo de se reunir para passar uma manhã lavando as motos e contando histórias, repassando o aprendizado. Daí a ideia do blog.
      Outra coisa que me ajudou muito a pilotar com mais segurança foi o curso de pilotagem defensiva que a própria Honda (naquela época era Honda) promoveu na minha concessionária (que faliu por ojeriza dos clientes).
      Algo que a honda deveria promover em escala muito maior hoje, mas que se limita aos centros de treinamento perto das fábricas e lá em Recife... Toda concessionária de toda cidade devia dar esse curso para cada cliente.
      Quanto a custo x benefício, sou suspeito pra falar... considero que todas máquina é boa se for bem mantida (até mesmo aquelas que o pessoal reclama que vibram muito... o pessoal nunca pilotou uma CG 1978).
      Mas é claro que havendo possibilidade, fuja dessas motos, vibração é irritante e fator que facilita soltar e desgastar peças.
      Minha moto é uma chinesa zongshen vendida pela dafra, e considero um ótimo custo x benefício, se feita a manutenção bem feita fora das concessionárias. O triste é o despreparo e incúria do pessoal que teria a obrigação de cuidar bem de nossas máquinas.
      Entre as quatro japonesas, e mesmo as europeias, mecanicamente todas são boas, mas têm suas pegadinhas com o nível de óleo ou com sua quilometragem de troca. As americanas eu nem considero porque não competem no mesmo mercado.
      Conhecendo os macetes de manutenção, você pode ficar relativamente tranquilo com qualquer uma delas.
      E o que penso a respeito de escolher a moto é:
      Não pense apenas no custo x benefício.
      Moto é paixão, compre a moto que você ficará feliz em ver na garagem todos os dias.
      Não adianta comprar uma moto pensando no valor de revenda se todos os dias você olhar para ela e ficar pensando que ficaria mais feliz de ver aquela outra no lugar...
      E o que hoje tem um grande valor de revenda, amanhã o valor despenca por conta dessas tretas que as próprias fabricantes criam no mercado.
      Só não comece com uma moto grande, você sabe porque já leu todo o blog...
      Forte abraço, e obrigado por esse depoimento que me deixou imensamente feliz,
      Jeff

      Excluir
    2. Endosso todas as palavras do leitor Marcelo! Tive exatamente as mesmas impressões pois adicionei a categoria A depois de 25 anos de habilitação e a leitura aqui do blog do Jeff trouxe-me mais segurança e prazer em possuir uma moto. Valeu Jeff! Cada postagem é luz para nosso caminho!! E sobre passar a notar mais as motos quando estamos no carro é fato! Seria muito interessante que todos os candidatos à CNH tivessem também algumas informações sobre pilotagem. A gente fica muito mais "esperto" no trânsito, mais atento nas manobras, mais cuidadoso. Abraço!!

      Excluir
    3. Muito obrigado, Paulo!
      Fico muito feliz que o blog tenha sido útil!
      Seria realmente muito bom que todo mundo tivesse a oportunidade de conhecer um pouco de todas as outras categorias. Somente sentando na boleia de um caminhão é que a gente percebe como é difícil dominar aquela máquina!
      E desejo que sua moto lhe proporcione muitas alegrias!
      Um abraço,
      Jeff

      Excluir
  4. Penso que no máximo posso pegar uma 150cc, pois acabo indo em clientes em outras cidades como por exemplo taboao da serra, embu das artes, itapecerica, osasco, barueri, guarulhos.... E acredito que ter uma moto que numa necessidade possa oferecer um pouquinho a mais de resposta pode ser importante, mas isso é o que eu acho gostaria muito de saber o que voce pensa sobre isso, pretendo pegar uma moto 0km com roda de liga sem camera e freio a disco... E neste momento essa minha escolha é feita baseada em minha segurança por varias coisas que voce postou em seu blog! E aqui em São Paulo eu vejo Dafra e Yamaha como boas opções, pois a honda é a moto mais visada para roubo, e a Suzuki parece que esta quebrada.. Pois passei em frente a concessionária na Francisco morato e nao tive coragem de estacionar o carro para entrar na loja, Parece um boteco! E como a moto inicialmente é mais uma necessidade de trabalho tenho um olhar voltado para as tipo cargo e a yamaha nao tem cargo de fábrica e a Dafra tem! Tenho muito a pesquisar enquanto não recebo minha cnh. Como pode ver não estou colocando quesito revisões... Pois assim como faço hoje com o meu carro pretendo fazer com a moto... Somente as 2 primeiras revisões pra ajuste da máquina e Depois adeus concessionária, vou atrás de bona mecanicos e mesmo assim só faço o serviço onde eu posso ficar do lado acompanhando o que esta sendo feito... Afinal é meu equipamento de trabalho e de lazer. Não entrego a segurança da minha vida e da minha família na mão de ninguém... Grande abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Marcelo!
      Encarar a Régis Bittencourt de moto nesse trecho inicial é barra pesada, muitos caminhões. Particularmente se tiver de pegar o Rodoanel, a coisa por lá é tensa no trecho entre a Castelo e a Régis.
      Se você não tem objeção quanto a comprar uma dafra, minha sugestão é pegar uma Apache. Seu motor é mais potente que o de uma 150 (meu amigo Wagner tem uma e ele foi até Penedo acompanhando as 250 numa boa, se bem que eu acho que ele forçou um pouco o motor). Dá uma lida na postagem
      http://minhaprimeiramoto.blogspot.com.br/2016/11/apache-moto-mais-injusticada-do.html
      Conhecendo os macetes, e nos comentários lá a gente chegou à conclusão de que o caso da Apache é idêntico ao de outras motos, precisa de um pequeno adicional de óleo — apesar de o procedimento do manual não pedir.
      Mas se não é o modelo que você sonha, não compre apenas porque eu indiquei. É aquela história de olhar para a moto todo dia na garagem e abrir um sorrisão. Isso não tem preço.
      Forte abraço,
      Jeff

      Excluir
    2. A cargo da dafra é a Speed, certo?
      Mesmo motor da Kansas, usa 1,4 litro de óleo, menos que isso não é recomendável para quem vai pegar estrada todo dia.
      O pessoal dono de Speed fala que 1,3 litro é suficiente, mas é aquela questão, o óleo fica no meio da faixa de medição.
      Em estrada o consumo é mais rápido, esse meio da faixa pode sumir rapidamente e aí você fica preso no Rodoanel sem conseguir ultrapassar um caminhão e sendo empurrado por outro, sem poder mudar para a faixa dos carros ainda mais rápidos... foi uma das situações mais tensas por que passei, sendo obrigado a manter o motor no máximo de giros por infindáveis minutos, sempre com receio de o motor poder travar.
      Isso quase aconteceu uma outra vez na rodovia Bandeirantes, situação parecida, e ainda estava com garupa. Quando fui para o acostamento a moto não mudava marchas de tão quente que o motor estava, mais um pouco e teria travado.
      Em ambas as situações, se eu não rodasse sempre com o óleo no nível máximo, o motor teria realmente se travado ou perdido potência subitamente na frente de um caminhão colado na traseira, e talvez hoje o blog não existisse e ninguém saberia o motivo do meu triste fim.
      Felizmente não descuido do nível de óleo da moto porque sei dessa importância vital.
      Eu de novo,
      Eu

      Excluir
  5. Jeff obrigado pelas dicas! Realmente não pretendo pegar as estradas de cara... Afinal sou seu leitor não entro nessa roubada de forma alguma! A dafra cargo que tem no site é a riva cargo... Sabe alguma coisa dela?
    Hoje estive conversando com um colega sobre motos pois venho pesquisando muito com amigos que já são motocliclistas ou motoqueiros. E ele me disse que a Dafra foi comprada pela honda. Procede essa informação?
    Gostaria de compartilhar com voce uma experiência estranha. Com todos os meus conhecidos que converso sobre moto e que sabem que eu nao piloto sempre surge perguntas de minha parte para eles e recebo respostas que não batem com o que vc diz...hoje por exemplo perguntei para meu colega qual a viscosidade do oleo que ele colocava na yamaha dele e se o óleo que usava era o yamalube, resposta: "moto não é carro nao, voce não precisa saber sobre a viscosidade para motos, eu chego na oficina mando colocar óleo Ipiranga pq nao precisa pagar tao caro no yamalube e eles já sabem qual a viscosidade que tem que colocar" eu perguntei: " mas se você não sabe a viscosidade como que voce completa o oleo até chegar o momento da próxima troca" resposta do colega: "não precisa completar oleo pois a yamaha nao perde oleo, isso é coisa de honda". E pra finalizar achei a dafra apache linda. Só preciso ir numa loja pra subir nela e sentir se bate comigo! Li uma reclamação de que as motos dafra não tem uma boa vedação na tampa do tanque de combustível e que entra água de chuva no tanque. Sabe de algo sobre isso?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Marcelo!
      Fiz teste drive em uma Riva quando foi lançada e achei uma ótima moto. Foi só uma volta na quadra, mas não fica devendo nada à concorrência. É fabricada pela chinesa haojue, que também fabrica as motos pequenas da suzuki na China. Possui ótimo padrão de fabricação e acabamento.

      Me parece estranho a honda comprar uma montadora que traz concorrentes para o Brasil... a dafra monta ducati, ktm, já montou bmw, aprilia...

      Essa história de que a dafra pertenceria à honda é uma invenção que circula desde o lançamento da dafra. Muitos vendedores falavam essa mentira para facilitar as vendas.

      Única verdade é que as motos iniciais da dafra (Speed e Kansas) têm motores que usam peças compatíveis com as da CG 1999, mas nem todas. Aí o pessoal dizia que a dafra era da honda...

      Pois é, 95% dos motociclistas são assim, não se preocupam com isso. E a oficina sabe qual óleo colocar para que os fregueses voltem sempre... hehehe
      Que eu saiba, o óleo Ipiranga tem 4 tipos para motos: dois minerais 20W-50 (um SG e um SL), um semissintético e um sintético, sendo os dois 10W-30.

      Deixar a decisão na mão do mecânico, ele pode sair com um bom 20W-50 SL, ou um não tão bom SG. Ou óleos de viscosidade inadequada, que abreviarão a vida útil do motor.

      Bom para a oficina, péssimo para o dono da moto, e o inocente nem fará ideia porque está acostumado com a ideia de que motor de moto não dura nada mesmo.

      Não completar o nível é um erro enorme.

      O pessoal se acostuma que no início da vida útil do motor o nível quase não abaixa. Com o desgaste normal do motor, o volume de óleo consumido aumenta, mas o cara está acostumado a não repor.

      Um cara como esse seu amigo entrega a moto na oficina, o mecânico tira somente meio litro de óleo do motor (que era tudo que tinha lá dentro) e o inocente não fica nem sabendo.

      Não percebe que a moto rodar melhor depois da troca de óleo significa que o motor estava se desgastando em níveis inaceitáveis antes da troca. Mentalidade típica do freguês de oficina.

      Motores yamaha usam um revestimento de Nicasil, um tratamento superficial que faz uma espécie de vitrificação do cilindro. Ele se desgasta menos, tende a consumir menos óleo, mas não faz mágica.

      Dizer que óleo abaixar "é coisa de honda" só mostra o desconhecimento dele sobre o assunto.

      Você viu no vídeo da shell que o óleo evapora, e óleo evaporado é queimado na câmara de combustão via mangueira de respiro que liga o cárter ao filtro de ar.

      O nível de óleo sempre abaixa, o dono é que não percebe — e isso pode ocorrer por vários motivos.

      O regime de uso dele é tranquilo, o cara roda pouco, o cara não pega estradas, o mundo para ele é o bairro da casa dele... aí ele deixa a moto no mecânico e nem imagina o quanto o nível abaixou e ele não ficou sabendo.

      A única moto dafra que sei que tem (ou tinha) péssima vedação da tampa do tanque de gasolina era a Super 100. Constatei na concessionária que a tampa simplesmente não vedava, tinha uma folga de uns 3 milímetros que permitia a entrada de tranquilamente de água pela tampa.

      Agora um problema de entrada de água que perseguia as primeiras motos da dafra e que foi comentada daqui no blog é o da mangueirinha de respiro do carburador que, por ser muito longa, aspirava água do asfalto em dias de chuva, fazendo a moto engasgar e o motor morrer.

      Isso aconteceu na viagem a Foz do Iguaçu com uma das motos e foi só cortar com alicate a ponta da mangueirinha para acabar com o problema.

      Um abraço,
      Jeff

      Excluir
    2. Ah, esqueci de falar sobre o cilindro vitrificado com Nicasil da yamaha:

      Ele dura mais, mas não dura pra sempre, e não permite retífica. Então a solução para aumentar a rotatividade que a yamaha encontrou foi passar a recomendar o óleo Yamalube para 5 mil quilômetros, que assim o nicasil e outros componentes acabam mais rápido.
      Um abraço,
      Jeff

      Excluir
    3. Salve Marcelo! Se me permite entrarei ( ͡° ͜ʖ ͡°) nessa conversa.
      O jeff falou praticamente tudo... o mais importante é voce ser feliz com a motoca e fod@-$& os outros.
      Quando ia tirar a minha cnh tambem ia optar por uma 125 mas me convenceram de ir pra 150(ja que n tinha grana pra 250), nunca me arrependi! Hoje em dia aguardo a oportunidade de passar para uma 250. Como voce vai trabalhar com ela quanto mais potencia melhor, a motoca vai trabalhar mais suave vai ser esforçar menos. Sobre o tipo de motoca depende do que voce vai carregar, as cargo servem só pra nao guincharem sua motoca, por exemplo: se voce for fazer um tranpo de boy e meter aqueles bau em uma motoca que nao for "cargo" pode acontecer dos homi te parar e te guinchar com a desculpa de que sua motoca nao é apropriada para o tranpo que voce esta fazendo. Sobre voce nao pegar estrada acho bobagem, tem que meter a cara mesmo mas sempre com cautela, anda no meio das faixas que nem carro e fica esperto no retrovisor, cuidado com as faixas antecessoras a ultima da esquerda, mesmo voce estando na sua sempre tem aquele viado com uma moto de maior cilindrada que do nada passa voando e bem perto te dando maior susto 😭
      Sobre os mano que tem outras motocas
      Acredito que voce ja tenha aprendido a lição, voce vai ser sim esculachado, voce vai ser o errado, o bobo, o trouxa e muito mais e assim como muitos vai aprender a arte de nao ligar rs quem quer aprender aprende, quem nao quer azar... sempre mantenha foco no que voce acredita e acha certo, nao se deixe enganar ou se levar pelos argumentos aleios. Se voce realmente garimpou tudo aqui ja esta mais que preparado para saber diferenciar o certo e o errado, aqui na minha rua ate a um tempo eu era o "diferentao" fazia as manutencoes corretas e ate trocava um pouquinho antes, mas quando comecou a dar merda pra geral ai o pessoal comecou a me ouvir rs
      Sobre pneus e aros
      Esses dias tive que fazer uma verdadeira busca, enchi o saco do jeff pra caramba no email
      O que aprendi foi que a diferença de roda de liga e raiada é que na de liga os cara cresce mais os zoio, é mais cara e voce nao fica assim tao livre do pneu muchar, só que pra voce arrumar pode ir em uma borracharia de carro(que tem muito mais) e da um jeito(exceto se o pneu rasgar), a roda raiada com o tempo enferruja, mas pneu é mais barato se for uma cilindrada maior a diferença de preço entre com e sem camara é grande e moto maior gasta mais pneu, nao é tao visada, agora vem o coringa que aprendi esses dias
      Voce pode ir na barao de limeira comprar uma camara de ar de 4mm, acima disso é preciso ter um furo adicional no aro, um para o pino e outro para trava. Da ora colocar no 90/90-18 de 6,5mm que é mais que o triplo que uma camara normal ai que se vende. No inicio pode parecer inviavel porque a de 6,5 custa por volta de R$150 fora voce ter que confiar no cara furar seu aro, mas a de 4mm fica em torno de R$80, ambas o pessoal garante que só troca a camara porque passa validade! Uma camara normal custa em torno de R$50. Outro macete que aprendi foi acrescentar a famosa vacina de pneu, importante lembrar que pra ela fazer efeito é preciso rodar 5 km apos retirar o "prego" a vacina mais a camara de 4mm é uma combinacao potente! Nos meus 5 anos com a motoca nunca furei o pneu da frente entao se a situacao for ruim poe só no traseiro.
      Existem modelos de vacinas que é possivel com o proprio bico da vacina retirar a proteção do pino dando a possibilidade de voce estar aplicando o produto dentro da camara de ar! Mas tem que ter cuidado quando for calibrar os pneus, voce nao vai poder calobrar com o pino as 6 horas do relogio, ou seja, sempre que for calibrar o pino tem qie estar pra cima ou horizontalmente, o esquema é sempre ter o pininho da vacina se por acaso voce esquecer e vazar é só retirar a pecinha da camara lavar e encaixar novamente.
      Foi mal pelo super comentario e se precisar estamos ai!

      Excluir
    4. Só vou dar um aviso pra galera que leu a parte sobre a camara de ar de 6,5. Furar o aro por menor que seja é uma decisão muito seria, eu nem iria falar sobre as camaras por causa desse detalhe, mas a descoberta toda em si é muito boa pra ser guardada na gaveta, e quando fui realizar a compra e meu anjinho da guarda me fez revisar o que estaria comprando ai pra minha surpresa me deparei com esse detalhe tao importante, R$150 temeres é bastante dinheiro praticamente outro pneu e eu nao teria confiança em ninguem para estar fazendo essa alteração tao importante em meu aro, ai eu acabaria perdendo essa grana toda.
      Entao pessoal pensem bem antea de fazer qualquer alteração que seja na motoca de voces, só porque fulano fez nao é desculpa pra esrar fazendo tambem... voce sempre sera o unico e maior interessado em sua segurança.
      Aquele abrc

      Excluir
  6. To tentando entender o que me fez dizer Barão de Limeira ao invés de General Osório 😑😂

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Será que é porque o quarteirão inteiro da Barão de Limeira até a General Osório está forrado de lojas de motos e motopeças?
      Abração,
      Jeff

      Excluir
    2. Mas dizer "passa la na General" ja é praticamente um nome de loja, e tem gente que se vc falar passa na barao ate te corrige kkkk

      Excluir